Influência da variabilidade edafoclimática no crescimento de clones de eucalipto no Nordeste baiano

Ana Carolina Albuquerque Santos, Simone Silva, Helio Garcia Leite, Jeovane Pereira da Cruz

Resumo


Objetivou-se estudar o crescimento de três clones de eucalipto em diferentes tipos de solos e de histórico de precipitação pluviométrica (PP) na região nordeste da Bahia. Para isso, utilizaram-se dados de parcelas permanentes medidas em povoamentos clonais de eucalipto em Argilosso Amarelo, Argissolo Vermelho-Amarelo, Latossolo Amarelo e Neossolo Quartzarênico, com e precipitação média anual variando de 700 mm a 1700 mm. Foram ajustados modelos de crescimento em função da idade para altura dominante, diâmetro quadrático, área basal e volume por ha para cada combinação de clone e solo. Para analisar o efeito da PP na predição do volume, foi incluído um modificador associado à precipitação no modelo de Gompertz. O maior crescimento no Argissolo Amarelo foi obtido pelo clone 1. O modelo ajustado, com a inclusão da PP, reduziu os erros em torno de 62,9%. em comparação com o modelo biológico tradicional. Concluiu-se que a consideração da variabilidade dos solos e da PP na modelagem de crescimento em regiões com ampla variabilidade da PP, afetou a exatidão das estimativas. E, ainda, a análise das curvas de crescimento em diferentes solos e PP auxilia na definição do clone adequado para locais onde não há informações de inventário.


Palavras-chave


Modelo de Gompertz; Modificação; Previsão

Texto completo:

PDF

Referências


Araújo, P. H. C. et al. Uma análise do impacto das mudanças climáticas na produtividade agrícola da região nordeste do Brasil. Revista Economia, v. 45, n. 3, p. 46-57, 2014.

Baesso, R. C. E. et al. Impacto das mudanças climáticas na produtividade do eucalipto na região norte do Espírito Santo e sul da Bahia. Ciência Florestal, v. 20, n. 2, p. 335-344, 2010.

Campos, J. C. C. & Leite, H. G. Mensuração florestal: perguntas e respostas. 4. ed. Viçosa, MG: Ed da UFV, 2013. 548 p.

Carvalho, A. P. et al. Efeitos de características dos solos sobre a capacidade produtiva de Pinus taeda. Boletim de Pesquisa Florestal, n. 39, p. 51-66, 1999.

Clutter, J. L. Compatible growth and yield models for loblolly pine. Forest Science, v. 9, n. 3, p. 354-371, 1963.

Ferreira, M. Z. Modelagem da influência de variáveis ambientais no crescimento e na produção de Eucalyptus sp. 2009. 101 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.

Flexas, J. et al. Effects of drought on photosynthesis in grapevines under field conditions. Functional Plant Biology, v. 29, p. 461-471, 2002.

Gonçalves, J. L. M. et al. Produtividade de plantações de eucalipto manejadas nos sistemas de alto fuste e talhadia, em função de fatores edafoclimáticos. Scientia Forestalis, v. 42, n. 103, p. 411-419, 2014.

Graybill, F. A. Theory and applications of the linear model. Pacif Grove: Duxbury, 1976.

Gujarati, D. N. & Porter, D. C. Econometria básica. 5. ed. Bookman: Porto Alegre, 2011.

Indústria Brasileira de Árvores. IBÁ 2015. São Paulo, 2015. 61 p. Relatório IBÁ 2015 relativo a 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2016.

Machado, S. A. et al. Efeito das variáveis climáticas no crescimento mensal de Pinus taeda e Araucaria angustifólia em fase juvenil. Floresta e Ambiente, v. 21, n. 2, p. 170-181, 2014.

Maestri, R. Modelo de crescimento e produção para povoamentos clonais de Eucaliptus grandis considerando variáveis ambientais. 2003. 143 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Miranda, R. O. V. et al. Modelagem do crescimento e produção em classes de precipitação pluviométrica para Eucalyptus sp. Floresta, v. 45, n. 1, p. 117-128, 2014.

Oliveira, M. L. R. et al. Modelagem e prognose em povoamentos não desbastados de clones de eucalipto. Revista Árvore, v. 33, n. 5, p. 841-852, 2009.

Perez-Garcia, J. et al. Impacts of climate chance on the global forest sector. Climatic Change, v. 54, n. 4, p. 439-461, 2002.

Richards, F. J. A flexible growth function for empirical use. Journal of experimental Botany, v. 10, n. 2, p. 290-30, 1959. DOI: 10.1093/jxb/10.2.290.

Soares, C. P. B. & Leite, H. G. Predição da produção de madeira de eucalipto em região de alta variabilidade pluviométrica. Scientia Forestalis, v. 58, n. 103, p. 41-48, 2000.

Souza, M. J. H. et al.Disponibilidade hídrica do solo e produtividade do eucalipto em três regiões da bacia do rio Doce. Revista Árvore, v. 30, n. 3, p. 399-410, 2006.

Snowdon, P. et al. Incorporation of climatic indices into models of growth of Pinus radiata in a spacing experiment. New Forest, v. 16, n. 1, p. 101-123, 1998. DOI: 10.1023/A:1006524609459.

Snowdon, P. et al. Incorporation of indices of annual climatic variation into growth models for Pinus radiata. Forest Ecology and Management, v. 117, n. 1-3, p. 187-197, 1999. DOI: 10.1016/S0378-1127(98)00463-0.

Stape, J. L. et al. Eucalyptus production and the supply, use and efficiency of the use of water, light and nitrogen across a geographic gradient in Brazil. Forest Ecology and Management, v. 193, n. 1-2, p. 17-31, 2004.

Stape, J. L. Production ecology of clonal eucalyptus plantation in Northeastern Brazil. 2002. 225 f. Thesis (Ph. D.) - Colorado State University, Colorado.

Statsoft Inc. Data analysis software system: version 13. Tulsa, 2013. Electronic version. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2015.

Temps, M. Adição da precipitação pluviométrica na modelagem do crescimento e da produção florestal em povoamentos não desbastados de Pinus taeda L. 2005. 83 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Thiessen, A. H. Precipitation averages for large areas. Monthly Weather Review, v. 39, p. 1082–1089, 1911. DOI: 10.1175/1520-0493(1911)39<1082b:PAFLA>2.0.CO;2.

Turvey, N. D. Soil-type yield curves for Pinus radiata in Gippsland, Victoria. Australian Forestry, v. 46, n. 2, p. 118-125, 1983. DOI: 10.1080/00049158.1983.10674387.

Zamin, N. T. et al. Effect of Climate variables on monthly growth in modeling biological yield of Araucaria angustifolia and Pinus taeda in the juvenile phase. International Journal of Forestry Research, v. 2013, 2013. DOI: 10.1155/2013/646759.

Winsor, C. P. The Gompertz curve as a growth curve. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 18, p. 1-8, 1932.




DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2017.pfb.37.91.1207

Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional