Modelagem da distribuição de frequência de teores carbono orgânico do solo sob Floresta Ombrófila Mista no Paraná

Tauane Garcia Barreto, Ângela Maria Klein Hentz, Sylvio Péllico Netto, Ana Paula Dalla Corte, Carlos Roberto Sanquetta

Resumo


Neste trabalho objetivou-se modelar o teor de carbono no solo de parcelas sob Floresta Ombrófila Mista em condições distintas (predomínio de araucária, de imbuia e vegetação mista com registro de ocorrência de fogo), no Paraná, a partir de distribuições probabilísticas. Para tal, foi avaliada a qualidade de ajuste e aderência de diferentes funções de probabilidade (normal, Weber, Weibull 3P, log-normal, SB de Johnson e Gama), pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Todas as funções densidade de probabilidade resultaram em bons ajustes, podendo então ser utilizadas para modelar os dados de carbono no solo em qualquer uma das parcelas. As funções foram ranqueadas a partir dos valores do teste Kolmogorov-Smirnov, e decidiu-se que a função Gama é a mais apropriada para modelar o teor de carbono nas três parcelas estudadas. Ainda, ao realizar a comparação das distribuições Gama ajustadas pelo teste Kolmogorov-Smirnov nas diferentes condições testadas, observou-se que elas apresentam configurações distintas, portanto, devem ser modeladas individualmente.


Palavras-chave


Função densidade de probabilidade; Função Gama; Matéria orgânica do solo

Texto completo:

PDF

Referências


Araújo, E. M. et al. Aplicação de seis distribuições de probabilidade a séries de temperatura máxima em Iguatu - CE. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 1 p. 36-45, 2010.

Assis, F. N. et al. Aplicações de estatística à climatologia: teoria e prática. Pelotas: UFPEL, 1996. 161 p.

Assis, J. P. et al. Ajuste de sete modelos de distribuições densidade de probabilidade às séries históricas de umidade relativa mensal em Mossoró – RN. Revista Verde, v. 8, n. 1, p. 1-10, 2013.

Barreto, T. G. Geoestatística aplicada à modelagem da dinâmica de crescimento e características químicas do solo de um fragmento florestal. 2015. 187 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Baretta, D. Fauna do solo e outros atributos edáficos como indicadores da qualidade ambiental em áreas com Araucaria Angustifolia no Estado de São Paulo. 2007. 158 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, São Paulo.

Caldeira, M. V. W. et al. Carbono orgânico em solos florestais. In: Sanquetta, C. R. et al. (Ed.). As florestas e o carbono. Curitiba: UFPR, 2002. p. 191–213.

Campos, H. Estatística experimental não-paramétrica. 4. ed. Piracicaba: Departamento de Matemática e Estatística, ESALQ, 1979. 349 p.

Caviglione, J. H. et al. Cartas climáticas do Paraná. Londrina: IAPAR, 2000. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2015.

Costa Neto, P. L de O. Estatística. 2. ed. São Paulo: Edgar Blucher, 2002. 280 p.

Dallacort, R. et al. Distribuição das chuvas no município de Tangará da Serra, médio norte do Estado de Mato Grosso, Brasil. Acta Scientiarum Agronomy, v. 33, n. 2, p. 193-200, 2011. DOI: 10.4025/actasciagron.v33i2.5838.

Durigan, M. E. Florística, dinâmica e análise proteica de uma Floresta Ombrófila Mista em São João do Triunfo – PR. 1999. 125 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Fialho, R. C. & Zinn, Y. L. Changes in soil organic carbon under Eucalyptus plantations in Brazil: a comparative analysis. Land Degradation & Development, v. 25, p. 428–437, 2014. DOI: 10.1002/ldr.2158.

Gatto, A. et al. Estoques de carbono no solo e na biomassa em plantações de eucalipto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 34, n. 4, p. 1069-1080, 2010.

Guimarães, D. P. Uma função hiperbólica de distribuição probabilística de alta flexibilidade. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2002. 40 p. (Embrapa Cerrados. Documentos, 79).

Inácio, E. S. B. Distribuição vertical de carbono orgânico em Latossolo sob diferentes usos. 2009. 86 f. Tese (Doutorado em Ciências do Solo) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.

Leite, H. G. et al. Avaliação do ajuste das funções Weibull e hiperbólica a dados de povoamentos de eucalipto submetidos a desbaste. Revista Árvore, v. 34, n. 2, p. 305-311, 2010. DOI: 10.1590/S0100-67622010000200013.

Lima, J. A. S. et al Agrupamento de espécies arbóreas de uma floresta tropical por características de solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 38, n. 1, p. 109-116, 2003. DOI: 10.1590/S0100-204X2003000100015.

Lúcio, A. D. et al. Distribuição de probabilidade em análises nutricionais de espécies florestais. Revista Ceres, v. 54, n. 313, p. 215-225, 2007.

Maas, G. C. B. Compartimentação do estoque de carbono em Floresta Ombrófila Mista. 2015. 172 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) –Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Machado, P. L. O. A. Carbono do solo e a mitigação da mudança climática global. Química Nova, v. 28, n. 2, p. 329-334, 2005. DOI: 10.1590/S0100-40422005000200026.

Maciel, S. M. Análise espacial do carbono em um fragmento florestal com predominância de Anadenanthera sp. 2012. 134 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia da Madeira) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.

Mafra, A. L. et al. Carbono orgânico e atributos químicos do solo em áreas florestais. Revista Árvore, v. 32, n. 2, p. 217–224, 2008. DOI: 10.1590/S0100-67622008000200004.

Matias, S. S. R. et al. Influência de diferentes sistemas de cultivo nos atributos físicos e no carbono orgânico do solo. Revisa Brasileira de Ciência Agrária, v. 7, n. 3, p. 414-420, 2012. DOI: 10.5039/agraria.v7i3a1462.

McGrath, D. & Zhang, C. S. Spatial distribution of soil organic carbon concentrations in grassland of Ireland. Applied Geochemistry, v. 18, p. 1629–1639, 2003. DOI: 10.1016/S0883-2927(03)00045-3.

Mesquita, M. G. B. F. et al. Caracterização estatística de variáveis físicas do solo. Acta Scientiarum Agronomy, v. 25, n. 1, p. 35-44, 2003. DOI: 10.4025/actasciagron.v25i1.2342.

Padovani, C. R. Bioestatística. São Paulo: Cultura Acadêmica, Universidade Estadual Paulista, 2012. 113 p.

Paiva Sobrinho, S. de et al. Determinação dos parâmetros da distribuição gama e média pluviométrica decendial para estações do estado de Mato Grosso. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 29, n. 2, p. 183-196, 2014. DOI: 10.1590/S0102-77862014000200004.

Pereira, F. L. G. et al. Fault reactivation case study for probabilistic assessment of carbon dioxide sequestration. International Journal of Rock Mechanics & Mining Sciences, 71, p. 310–319, 2014. DOI: 10.1016/j.ijrmms.2014.08.003.

Pizatto, W. Avaliação biométrica da estrutura e da dinâmica de uma Floresta Ombrófila Mista em São João do Triunfo – PR: 1995 a 1998. 1999. 172 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Rangel O. J. P. & Silva C. A. Estoques de carbono e nitrogênio e frações orgânicas de Latossolo submetido a diferentes sistemas de uso e manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 31: p. 1609–1623, 2007. DOI: 10.1590/S0100-06832007000600037.

Ribeiro S. C. et al. Quantificação de biomassa e estimativa de estoque de carbono em uma floresta madura no município de Viçosa, Minas Gerais. Revista Árvore, v. 33, n. 5, p. 917-927, 2005. DOI: 10.1590/S0100-67622009000500014.

Sandi, J. T. T. Estoque de carbono no solo sob diferentes coberturas vegetais, Chapecó-SC. 2009. 83 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Comunitária Regional de Chapecó, Chapecó.

Sanquetta, C. R. et al. Proposta metodológica para quantificação e monitoramento do carbono estocado em florestas plantadas. In: Sanquetta, C. R. et al. (Ed.). Carbono: desenvolvimento tecnológico, aplicação e mercado global. Curitiba, 2006. p. 240-265.

Silva, E. Q. de et al. Função densidade de probabilidade aplicável à ciência florestal. Revista Floresta, v. 33, n. 3, p. 285-294, 2003.

Soccol, O. J. et al. Análise da precipitação mensal provável para o município de Lages, SC. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, p. 569574, 2010. DOI: 10.1590/S1415-43662010000600001.

Weber, S. H. Desenvolvimento de nova função densidade de probabilidade para avaliação de regeneração natural. 2006. 74 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.




DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2017.pfb.37.89.953

Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional