Crescimento de espécies arbóreas nativas em recuperação de área degradada no litoral do Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4336/2020.pfb.40e201801680

Palavras-chave:

Regeneração da floresta, Cobertura de copa, Áreas de terras baixas

Resumo

Este estudo teve como objetivo avaliar o crescimento das espécies Senna multijuga, Myrsine coriaceae, Schizolobium parahyba var. parahyba, Inga edulis, I. marginata e Citharexylum myrianthum na recuperação de uma área degradada pela pecuária. O experimento foi desenvolvido na Reserva Natural da Guaricica em Antonina, PR. Foram testados quatro tratamentos com diferentes densidades de indivíduos de cada espécie, cada um com três repetições em blocos de 3.000 m2. A avaliação foi baseada nas variáveis: altura total (h), diâmetro a 1,30 m do solo, área de cobertura da copa, área basal e mortalidade. Com exceção da mortalidade que foi comparada pelo teste de Kruskal-Wallis, as demais variáveis foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de significância. I. edulis apresentou o melhor desenvolvimento e I. marginata o pior, enquanto M. coriacea apresentou a menor mortalidade e S. multijuga a maior. Estes resultados se expressaram entre os tratamentos, pois maior densidade de I. edulis gerou maior h média e maior densidade de S. multijuga gerou maior mortalidade. Maiores proporções de I. edulis tendem a aumentar a eficiência de projetos de restauração, enquanto C. myrianthum e M. coriacea também apresentam potencial para plantios na região do estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Aguiar Borges, Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental

http://lattes.cnpq.br/9168053273608141

Augusto Venicius Possa Borges, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Ciências Florestais

http://lattes.cnpq.br/3486085806867481

Edinelson José Maciel Neves, Embrapa Florestas

pesquisador aposentado  http://lattes.cnpq.br/7252112742562729

Ricardo Miranda de Britez, Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental

http://lattes.cnpq.br/7706461720863867

Referências

Alvares, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013. https://doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507.

Assis, R. L. & Wittmann, F. Forest structure and tree species composition of the understory of two central Amazonian várzea forests of contrasting flood heights. Flora, v. 206, n. 3, p. 251-260, 2011. https://doi.org/10.1016/j.flora.2010.11.002.

Barbosa, E. G. et al. Allelopathic evidence in Brachiaria decumbens and its potential to invade the Brazilian cerrados. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 51, n. 4, p. 625-631, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-89132008000400021.

Borgo, M. et al. Espécies arbóreas de um trecho de Floresta Atlântica do município de Antonina, Paraná, Brasil. Floresta, v. 41, n. 4, p. 819-832, 2011. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v41i4.25346.

Brancalion, P. H. S. et al. Instrumentos legais podem contribuir para a restauração de florestas tropicais biodiversas. Revista Árvore, v. 34, n. 3, p. 455-470, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622010000300010.

Bruel, B. O. et al. Survival and growth of tree species under two direct seedling planting systems. Restoration Ecology, v. 18, n. 4, p. 414-417, 2010. https://doi.org/10.1111/j.1526-100X.2009.00634.x.

Carpanezzi, A. A. & Carpanezzi, O. T. B. Espécies nativas recomendadas para recuperação ambiental no estado do Paraná, em solos não degradados. Colombo: Embrapa Florestas, 2006. 57 p. (Embrapa Florestas. Documentos, 136). Disponível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/313946>.

Carvalho, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2006. (Coleção espécies arbóreas brasileiras, 2).

Cheung, K. C. et al. Relação entre a presença de vegetação herbácea e a regeneração natural de espécies lenhosas em pastagens abandonadas na floresta ombrófila densa do sul do Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 23, n. 4, p. 1048-1056, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062009000400015.

Cotarelli, V. M. et al. Comportamento de cinco espécies arbóreas nativas da Mata Atlântica na restauração de áreas degradadas por pastagens em relevo de planície do litoral do Paraná, Brasil. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 7., 2008, Curitiba. Anais... Colombo: Embrapa, 2008. p. 147-162.

Ferreira, L. V. et al. The effect of exotic grass Urochloa decumbens (Stapf) RD Webster (Poaceae) in the reduction of species richness and change of floristic composition of natural regeneration in the Floresta Nacional de Carajás, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 88, p. 589-597, 2016. http://dx.doi.org/10.1590/0001-3765201620150121.

González, E. J. & Fischer, R. F. Growth of native species planted on abandoned pasture land in Costa Rica. Foresty Ecology and Manegement. v. 70, n. 3, p. 159-167, 1994. : https://doi.org/10.1016/0378-1127(94)90083-3.3 p. 159-167, 1994.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual técnico da vegetação brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro, 2012. 275 p.

Ipardes. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Social. Zoneamento da área de proteção ambiental de Guaraqueçaba. Curitiba, 2001. 150 p.

Jones, E. R. et al. Facilitating natural regeneration in Saccharum spontaneum (L.) grasslands within the Panama Canal Wathershed: effects of tree species and tree structure on vegetation recruitment patterns. Forest Ecology and Management. v. 191, n. 3, p. 171-181, 2004. https://doi.org/10.1016/j.foreco.2003.12.002.

Lamb, D. et al. Restoration of degraded tropical forest landscapes. Science, v. 310, n. 5754, p. 1628-1632, 2005. https://doi.org/10.1126/science.1111773.

Lorenzi, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. ed. 2. Nova Odessa: Plantarum, 1998.

Miranda Neto, A. et al. Transposição do banco de sementes do solo como metodologia de restauração florestal de pastagem abandonada em Viçosa, MG. Revista Árvore, v. 34, n. 6, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622010000600009.

Oliveira, D. R. et al. Special metabolites isolated from Urochloa humidicola (Poaceae). Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 89, n. 2, p. 789-797, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/0001-3765201720160126.

Palmer, M. A. & Filoso, S. Restoration of ecosystem services for environmental markets. Science, v. 325, n. 5940, p. 575-576, 2009. http://dx.doi.org/10.1126/science.1172976.

Ribeiro, M. C. et al. The Brazilian Atlantic Forest: How much is left, and how is the remaining forest distributed? Implications for conservation. Biological Conservation, v. 142, n. 6, p. 1141-1153, 2009. https://doi.org/10.1016/j.biocon.2009.02.021.

Reis, A. et al. Nucleation in tropical ecological restoration. Scientia Agricola, v. 67, n. 2, p. 244-250, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90162010000200018.

Rhoades, C. C. et al. Effect of pasture trees on soil nitrogen and organic matter: implications for tropical montane forest restoration. Restoration Ecology, v. 6, n. 3, p. 262-270, 1998. https://doi.org/10.1046/j.1526-100X.1998.00639.x

Roderjan, C. V. et al. As unidades fitogeográficas do Estado do Paraná. Ciência & Ambiente, v. 13, n. 24, p. 75-92, 2002.

Rollo, A. et al. Genetic diversity and hybridization in the two species Inga ingoides and Inga edulis: potential applications for agroforestry in the Peruvian Amazon. Annals of Forest Science, v. 73, n. 2, p. 425-435, 2016. https://doi.org/10.1007/s13595-015-0535-0.

Rorato, D. G. et al. Tolerance and resilience of forest species to frost in restoration planting in Southern Brazil. Restoration Ecology, v. 26, n. 3, p. 537-542, 2018. https://doi.org/10.1111/rec.12596.

Schorn, L. A. & Galvão F. Dinâmica no estrato arbóreo em três estádios sucessionais de uma Floresta Ombrófila Densa em Blumenau, SC. Cerne, v. 15, n. 2, p. 221-235, 2009.

SPVS. Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental. Revisão dos planos de manejo das Reservas Naturais Morro da Mina, Rio Cachoeira e Serra Itaqui: Paraná. Curitiba, 2012. Disponível em Disponível em: <http://www.spvs.org.br/wp-content/uploads/downloads/2016/01/PLANO_MANEJO_RESERVAS_NATURAIS_SPVS-1.pdf> Acesso: 3 out. 2016.

Zahawi, R. A. et al. Testing applied nucleation as a strategy to facilitate tropical forest recovery. Journal of Applied Ecology, v. 50, n. 1, p. 88-96, 2013. https://doi.org/10.1111/1365-2664.12014.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

SCHAFFER, L. H.; MATTAR, E. A.; NAKAJIMA, N. Y.; SILVA, S. A.; BORGES, R. A.; BORGES, A. V. P.; CARPANEZZI, A. A.; NEVES, E. J. M.; ANGELO, A. C.; DE BRITEZ, R. M. Crescimento de espécies arbóreas nativas em recuperação de área degradada no litoral do Paraná. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 40, 2020. DOI: 10.4336/2020.pfb.40e201801680. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/ojs-3.2.1-1/index.php/pfb/article/view/1680. Acesso em: 21 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos