Caracterização da madeira de Hovenia dulcis para a fabricação de pisos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4336/2020.pfb.40e201901905

Palavras-chave:

Uva-do-japão, Depressões na madeira, Propriedades da madeira.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo caracterizar a madeira de Hovenia dulcis Thunberg, visando sua utilização na fabricação de pisos. Para a caracterização tecnológica, foram utilizadas cinco árvores obtidas em Floresta Ombrófila Mista. As toras foram mensuradas, para a determinação do seu volume. Posteriormente, foi realizado o desdobro das mesmas em tábuas e blocos, para a determinação da massa específica básica, dureza Janka (tora da base) e ensaios de simulação de piso em serviço (toras do meio e topo). As tábuas e os blocos foram secos, para posterior preparação dos corpos de prova. Esses foram confeccionados separando-se a madeira constituída com 100% de cerne daquela que apresentava cerne e alburno. A madeira de H. dulcis caracterizou-se como de média massa específica (0,54 g cm-³), com média resistência (5.851,99 N). Em todos os testes de simulação de piso em serviço, a madeira de H. dulcis proporcionou resistência superior ou semelhante a outras espécies exóticas e inferior a espécies folhosas nativas encontradas na literatura. Concluiu-se que a madeira em estudo apresenta baixa resistência para esforços máximos, podendo ser utilizada em pisos para trânsito leve ou em locais em que as cargas são baixas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Marchesan, Universidade Federal do Tocantins

http://lattes.cnpq.br/8418109777627234

Morgana Cristina França, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

http://lattes.cnpq.br/6303955248415511

Pedro Licio Loiola, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

http://lattes.cnpq.br/0378424942058925

Márcio Pereira da Rocha, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal

http://lattes.cnpq.br/9030150856640630

Ricardo Jorge Klitzke, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal

http://lattes.cnpq.br/9314724648110947

José Reinaldo Moreira da Silva, Universidade Federal de Lavras, Departamento de Ciências Florestais

http://lattes.cnpq.br/1865260824276975

Referências

ASTM. American Society for Testing and Materials. ASTM D2394-83: standard test methods for simulated service testing of wood and wood-base finish flooring. Philadelphia, 1994. 608 p.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 11941-02: determinação da densidade básica em madeira. Rio de Janeiro, 2003.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7190: projetos de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, 1997. 107 p

ANPM. Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira Maciça. Madeiras para piso. Disponível em: < http://www.anpm.org.br/?S=17&L=1>. Acesso em: 30 out. 2015.

Eleoterio, J. R. et al. Variação longitudinal da massa específica da madeira e da casca de Hovenia dulcis Thunberg. Ciência da Madeira, v. 6, n. 2, p. 122-128, 2015. https://doi.org/10.12953/2177-6830/rcm.v6n2p122-128.

Floréz, J. B et al. Simulação em serviço de pisos de madeira jovem de Tectona Grandis. Matéria, v. 20, n. 4, p. 1048–1060, 2015. https://doi.org/10.1590/S1517-707620150004.0107.

IAPAR. Instituto Agronômico do Paraná. Disponível em: Acesso em: 09 jul. 2019.

IBÁ. Indústria Brasileira de Árvores. Anuário estatístico da IBÁ 2017: ano base 2016. Brasília: IBÁ, 2017.

IBAMA. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Banco de dados de madeiras brasileiras. Disponível em: <http://www.ibama.gov.br >. Acesso em: 15 out. 2015.

IPT. Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Catálogo de Madeiras brasileiras para a construção civil. São Paulo, 2013.

Lahr, F. A. R. et al. Propriedades físicas e mecânicas de três espécies provenientes de áreas certificadas da Floresta Amazônica. Construindo, v. 2, n. 2, p. 34-37, 2010.

Lima, I. L. & Garcia, J. N. Efeito da fertilização em propriedades mecânicas da madeira de Eucalyptus grandis. Ciência Florestal, v. 21, n. 3, p. 601-608, 2011. https://doi.org/10.5902/198050983818.

Lopes, C. S. D. et al. Estudo da massa específica básica e da variação dimensional da madeira de três espécies de eucalipto para a indústria moveleira. Ciência Florestal, v. 21, n. 2, p. 315-322, 2011.

Martins, M. et al. Simulação em uso dos pisos de madeira de Eucalyptus sp e Corymbia maculata. Cerne, v. 19, n. 1, p. 151-156, 2013. https://doi.org/10.1590/S0104-77602013000100018.

Marchesan, R. et al. Produção de Lamelas em Serra de Fita Horizontal Múltipla para Fabricação de Piso Engenheirado de Madeira. Floresta e Ambiente, v. 20, n. 1, p 124-134, 2013. http://dx.doi.org/10.4322/floram.2012.067.

Motta, J. P. et al. Caracterização da madeira de quatro espécies florestais. Ciência Rural, v. 44, n. 12, p. 2186-2192, 2014. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20130479.

Napoli, L. M. et al. Propriedades físicas da madeira e de painéis aglomerados produzidos com misturas de espécies florestais. Floresta, v. 43, n. 3, p. 475 484, 2013. http://dx.doi.org/10.5380/rf.v43i3.26204.

Oliveira, M. B. de. et al. Simulação em uso de pisos de madeira de amêndola, cumaru, ipê e sucupira. In: ANAIS CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA MADEIRA, 2017. Anais eletrônicos... Campinas, Galoá, 2017. Disponível em: <https://proceedings.science/cbctem/papers/simulacao-em-uso-de-pisos-de-madeira-de-amendola--cumaru--ipe-e-sucupira>. Acesso em 19 maio 2019.

Padilha, C. et al. Avaliação da qualidade da madeira de Eucalyptus sp para utilização em pisos. Scientis forestalis, n. 71, p. 141-147, 2006.

Revista da Madeira. Setor brasileiro de pisos de madeiro: oportunidades e ameaças. n. 139, 2014.

Rigatto, P. A. et al. Características físicas, químicas e anatômicas da madeira de Hovenia dulcis. Colombo: Embrapa Florestas, 2001. 4 p. (Embrapa Florestas. Comunicado técnico, 66).

Selle, G. L. et al. Índices de sítios para Hovenia dulcis Thunberg na região central do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 4, p. 407-423, 2009.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

MARCHESAN, R.; FRANÇA, M. C.; LOIOLA, P. L.; PEREIRA DA ROCHA, M.; KLITZKE, R. J.; MOREIRA DA SILVA, J. R. Caracterização da madeira de Hovenia dulcis para a fabricação de pisos. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 40, 2020. DOI: 10.4336/2020.pfb.40e201901905. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/ojs-3.2.1-1/index.php/pfb/article/view/1905. Acesso em: 21 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos