Relação entre o poder calorífico superior e os componentes elementares e minerais da biomassa vegetal

Autores

  • Thiago de Paula Protásio Universidade Federal de Lavras
  • Lina Bufalino Universidade Federal de Lavras
  • Gustavo Henrique Denzin Tonoli Universidade Federal de Lavras
  • Allan Motta Couto Universidade Federal de Lavras
  • Paulo Fernando Trugilho Universidade Federal de Lavras
  • Mário Guimarães Júnior CEFET_MG

Palavras-chave:

Modelagem, Regressão, Correlação, Seleção

Resumo

Os objetivos do trabalho foram avaliar a correlação, ajustar e selecionar modelos estatísticos lineares simples e múltiplos entre os componentes elementares (carbono, hidrogênio e oxigênio) e o teor de cinzas com o poder calorífico superior da biomassa vegetal; utilizar a análise de componentes principais para a criação de um índice de desempenho energético e ajustar um modelo linear entre o índice de desempenho energético e o poder calorífico superior. Utilizaram-se oito tipos de biomassa. Foram ajustadas equações referentes a três modelos estatísticos lineares simples e nove múltiplos. Os melhores modelos foram selecionados com base na significância dos seus coeficientes, no coeficiente de determinação ajustado, no erro padrão da estimativa, no coeficiente de variação, na linearidade dos parâmetros, na normalidade, na presença de heterocedasticidade e ausência de autocorrelação dos erros. Para os modelos lineares múltiplos, determinou-se o fator de inflação de variância. Encontrou-se alta correlação entre as variáveis. Os modelos 1, 3 e 11 foram considerados os mais adequados. A utilização prática do modelo 2 foi impossibilitada. A análise de componentes principais foi eficiente na obtenção de um índice de desempenho energético dos resíduos lignocelulósicos e pode ser utilizada para contornar a multicolinearidade encontrada entre as variáveis consideradas.doi: 10.4336/2011.pfb.31.66.113

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago de Paula Protásio, Universidade Federal de Lavras

Sou graduando em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras. Tenho experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Ciência e Tecnologia da Madeira e Energia da Biomassa.

Lina Bufalino, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (2008), mestrado em Ciência e Tecnologia da Madeira e atualmente cursa o doutorado em Ciência e Tecnologia da Madeira na Universidade Federal de Lavras , atuando principalmente na área de painéis de madeira.

Gustavo Henrique Denzin Tonoli, Universidade Federal de Lavras

ossui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (2003), mestrado em Zootecnia pela Universidade de São Paulo (2006), doutorado em Ciências (área: desenvolvimento, caracterização e aplicação de materiais) pelo Programa Interunidades EESC-IQSC-IFSC da Universidade de São Paulo, com 6 meses de pós-doutorado da Embrapa Instrumentação Agropecuária. Atualmente é Professor Adjunto no Departamento de Ciências Florestais da Universidade Federal de Lavras, atuando em Ciência e Tecnologia da Madeira. Tem experiência na aplicação e funcionalização de fibras celulósicas, com ênfase em materiais e componentes reforçados com fibras. Entre os principais objetivos estão: fibras papeleiras, fibras recicladas, polpas celulósicas, materiais lignocelulósicos, fibrocimento, construções rurais e ambiência, materiais de construção não-convencionais, embalagens inteligentes, materiais compósitos baseados em celulose, funcionalização da superfície das fibras, materiais biodegradáveis e sustentabilidade.

Allan Motta Couto, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (2008). Atualmente é aluno (Mestrado) do Programa de Pós Graduação em Ciência e Tecnologia da Madeira pela mesma instituição. Trabalha em linhas de pesquisa com enfase em Energia da Biomassa Florestal e Qualidade da Madeira.

Paulo Fernando Trugilho, Universidade Federal de Lavras

Graduado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1984), mestrado (1987) e doutorado (1995) em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa e pós-doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (2005). Atualmente é professor associado III da Universidade Federal de Lavras, Lavras/MG. Possui experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Energia de Biomassa Florestal, Qualidade da Madeira, Propriedades Físicas e Químicas da Madeira, atuando com ênfase nos temas relacionados à qualidade da madeira e do carvão vegetal, tensões de crescimento, amostragem da madeira e técnicas não destrutivas.

Mário Guimarães Júnior, CEFET_MG

Professor concursado efetivo do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais lotado na Coordenação de Eletrônica, onde ministra aulas e circuitos elétricos e laboratório de circuitos para o ensino técnico e projetos de circutios eletrônicos para o curso de Engenharia de Automação Industrial. Tem experiência na área de Engenharia Eletro-eletrônica com ênfase em Telecomunicações e Engenharia de Materiais, atuando principalmente nos seguintes temas: eletricidade, física dos semicondutores, irradiações ionizantes e não ionizantes, TSMD, Análise e Circuitos em Corrente Contínua e Alternada, Compósitos poliméricos e Fibras lignocelulósicas.

Downloads

Publicado

2011-05-23

Como Citar

PROTÁSIO, T. de P.; BUFALINO, L.; TONOLI, G. H. D.; COUTO, A. M.; TRUGILHO, P. F.; GUIMARÃES JÚNIOR, M. Relação entre o poder calorífico superior e os componentes elementares e minerais da biomassa vegetal. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 31, n. 66, p. 113, 2011. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/ojs-3.2.1-1/index.php/pfb/article/view/200. Acesso em: 1 dez. 2020.

Edição

Seção

Artigos Científicos