Estrutura e distribuição espacial da vegetação da Caatinga na Estação Ecológica do Seridó, RN

José Augusto da Silva Santana, José Augusto Silva Santana Júnior, Wanctuy da Silva Barreto, Anderson Targino da Silva Ferreira

Resumo


Este trabalho descreve a estrutura e o padrão de distribuição espacial das espécies do estrato arbóreo-arbustivo na Caatinga da Estação Ecológica do Seridó, no Município de Serra Negra do Norte, RN. Foram amostrados os indivíduos com diâmetro ao nível do solo ≥ 3 cm e altura total ≥ 1 m, presentes em 30 parcelas de 200 m2. O padrão de distribuição espacial foi determinado pelo índice de Payandeh. Registraram-se 2.448 indivíduos, distribuídos em 22 espécies, 20 gêneros e 12 famílias. A densidade foi de 4.080 indivíduos ha-1 e área basal de 17,50 m2 ha-1, enquanto a altura e o diâmetro médios atingiram 2,45 m e 6,80 cm, respectivamente. As famílias com maior número de espécies foram Fabaceae e Euphorbiaceae, com destaque em número de indivíduos para Euphorbiaceae, Fabaceae e Apocynaceae. Poincianella pyramidalis, Aspidosperma pyrifolium e Croton blanchetianus foram as espécies mais importantes, respondendo juntas pelo maior número de indivíduos, área basal e valor de importância. A área estudada apresenta pouca evidência de perturbação antrópica, com estrutura semelhante a outras áreas protegidas na Caatinga do Seridó e com maior proporção de espécies com distribuição agregada ou com tendência à agregação, revelando que as maiores populações formam pequenos agrupamentos.

Palavras-chave


Fitossociologia; Composição florística; Índice de Payandeh

Texto completo:

PDF

Referências


Alves Junior, F. T. et al. Efeito de borda na estrutura de espécies arbóreas em um fragmento de Floresta Ombrófila Densa, Recife, PE. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 1, n. 1, p. 49-56, 2006.

Araújo Filho, J. A. Manejo de pastagens nativas no sertão cearense. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PASTAGEM NATIVA DO TRÓPICO SEMI-ÁRIDO, 1., 1980, Fortaleza. Anais... Fortaleza: SBZ, 1980. p. 45-58.

Arruda, L. & Daniel, O. Florística e diversidade em um fragmento de floresta estacional semidecidual aluvial em Dourados-MS. Floresta, v. 37, n. 2, p. 189-199, 2007. DOI: 10.5380/rf.v37i2.

Bessa, M. & Medeiros, J. F. Levantamento florístico e fitossociológico em fragmentos de Caatinga no município de Taboleiro Grande-RN. Geotemas, v. 1, n. 2, p. 9-83, 2011.

Calixto Júnior, J. T. & Drumond, M. A. Estudo comparativo da estrutura fitossociológica de dois fragmentos de Caatinga em níveis diferentes de conservação. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, n. 80, p. 345-355, 2014. DOI: 10.4336/2014.pfb.34.80.670.

Camacho, R. G. V. Estudo fitofisiográfico da Caatinga do Seridó-Estação Ecológica do Seridó, RN. 2001. 130 f. Tese (Doutorado em Biologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

Carvalho, F. A. & Nascimento, M. T. Estrutura diamétrica da comunidade e das principais populações arbóreas de um remanescente de Floresta Atlântica Submontana (Silva Jardim-RJ, Brasil). Revista

Árvore, v. 33, n. 2, p. 327-337, 2009.

Carvalho, M. V. B. M. A. et al. Caracterização de propriedades rurais e identificação de espécies arbóreas e arbustivas ocorrentes em pastagens do Agreste de Pernambuco. Revista Científica de Produção Animal, v. 3, n. 1, p. 38-54, 2001.

Costa, T. C. C. et al. Análise da degradação da Caatinga no núcleo de desertificação do Seridó (RN/PB). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 13, supl., p. 961-974, 2009.

Fabricante, J. R. et al. Análise populacional de Caesalpinia pyramidalis Tul. (Fabaceae Lindl.) na Caatinga da região do Seridó nordestino. Revista Brasileira de Biociências, v. 7, n. 3, p. 285-290, 2009.

Fabricante, J. R. & Andrade, L. A. Relações sinecológicas da faveleira – Cnidoscolus phyllacanthus (Mull. Arg.) Pax e L. Hoffm. na Caatinga. In: Andrade, L. A. (Ed.). Ecologia da faveleira na Caatinga: bases para a exploração como lavoura xerófila. Campina Grande: Impressos Adilson, 2007. p. 1-132.

IBGE. Mapa de biomas e de vegetação. Rio de Janeiro. 2011. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/21052004biomashtml.shtm>. Acesso em: 29 maio 2015.

Leite, J. A. N. et al. Análise quantitativa da vegetação lenhosa da Caatinga em Teixeira, PB. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 35, n. 82, p. 89-100, 2015. DOI: 10.4336/2015.pfb.35.82.584.

Lemos, J. R. & Meguro, M. Estudo fitossociológico de uma área de Caatinga na Estação Ecológica (ESEC) de Aiuaba, Ceará, Brasil. Biotemas, v. 28, n. 2, p. 39-50, 2015. DOI: 10.5007/2175-7925.2015v28n2p39.

Magurran, A. E. Ecological diversity and its measurement. New Jersey: Princeton University Press, 1988. 197 p.

Marangon, G. P. et al. Estrutura e padrão espacial da vegetação em uma área de Caatinga. Floresta, v. 43, n. 1, p. 83-92, 2013. DOI: 10.5380/rf.v43i1.

Martins, S. S. et al. Efeito da exploração florestal seletiva em uma floresta estacional semidecidual. Revista Árvore, v. 27, n. 1, p. 65-70, 2003.

Mendes Júnior, I. J. H. et al. Distribuição espacial, diversidade florística e regeneração de uma área de caatinga após 20 anos de corte. In: JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSAO, 9., 2009, Recife. Anais... Recife: EDUFRPE, 2009. v. 9.

Nascimento, N. A. et al. Distribuição espacial de espécies arbóreas relacionada ao manejo de florestas naturais. Revista de Ciências Agrárias, v. 37, p. 75-194, 2002.

Oliveira, P. T. B. et al. Florística e fitossociologia de quatro remanescentes vegetacionais em áreas de serra no Cariri paraibano. Revista Caatinga, v. 22, n. 4, p. 169-178, 2009.

Paulino, R. C. et al. Sementes de Capparis flexuosa L. são recalcitrantes? Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 6, n. 2, p. 208-211, 2011.

Pereira Filho, J. M. et al. Efeito da altura de corte no controle da jurema-preta (Mimosa tenuiflora (Wild) Poir.). Revista Caatinga, v. 23, n. 2, p. 51-58, 2010.

Pereira Júnior, L. R. et al. Composição florística e fitossociológica de um fragmento de Caatinga em Monteiro, PB. Holos, v. 6, p. 73-87, 2012.

Pinheiro, K. & Alves, M. Espécies arbóreas de uma área de Caatinga no sertão de Pernambuco, Brasil: dados preliminares. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. 2, p. 426-428, 2007.

Queiroz, J. A. Q. et al. Análise da estrutura fitossociológica da Serra do Monte, Boqueirão, Paraíba. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 6, n. 1, p. 251-259, 2006.

Rodal, M. J. N. et al. Estrutura da vegetação caducifólia espinhosa (Caatinga) de uma área do sertão central de Pernambuco. Hoehnea, v. 35, n. 2, p. 209-217, 2008.

Rodal, M. J. N. Fitossociologia da vegetação arbustivo-arbórea em quatro áreas de caatinga em Pernambuco. 1992. 198 f. Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Santana, J. A. S. et al. Balanço hídrico e classificação climática de Thornthwaite da Estação Ecológica do Seridó, Serra Negra do Norte-RN. Brasil Florestal, v. 23, n. 80, p. 9-16, 2004.

Santana, J. A. S. et al. Padrão de distribuição e estrutura diamétrica de Caesalpinia pyramidalis Tul. (catingueira) na Caatinga do Seridó. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 11, n. 1, p. 116-122, 2011.

Santana, J. A. S. Padrão de distribuição e estrutura diamétrica de Croton sonderianus Muell. Arg. (marmeleiro) na Caatinga da Estação Ecológica do Seridó. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 4, n. 3, p. 5-90, 2009.

Santana, J. A. S. & Souto, J. S. Diversidade e estrutura fitossociológica da Caatinga na Estação Ecológica do Seridó-RN. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 6, n. 2, p. 232-242, 2006.

Santos, M. J. C. & Santos, F. R. Sociabilidade florística e fitossociológica em sistema agrossilvipastoril no semi-árido sergipano. Scientia Plena, v. 8, n. 3, p. 1-7, 2012.

Silva, N. et al. Conhecimento e uso da vegetação nativa da Caatinga em uma Comunidade Rural da Paraíba, Nordeste do Brasil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, v. 34, p. 5-37, 2014.

Trovão, D. M. B. M. et al. Florística e fitossociologia do componente lenhoso da mata ciliar do Riacho de Bodocongó, Semiárido paraibano. Revista Caatinga, v. 23, n. 2, p. 78-86, 2010.




DOI: https://doi.org/10.4336/2016.pfb.36.88.1002



Direitos autorais 2016

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional