Variação radial e longitudinal da densidade básica da madeira de Pinus patula

Polliana D'Angelo Rios, Helena Cristina Vieira, Giuliano Ferreira Pereira, Eliana Turmina, Marcos Felipe Nicoletti

Resumo


A densidade básica da madeira é considerada uma das propriedades mais importantes, pois influencia diretamente as demais características físicas para a utilização industrial. O presente estudo teve como objetivo determinar a densidade básica média da madeira de árvores de Pinus patula Schltdl & Cham. e analisar a sua variação nos sentidos radial e longitudinal. As amostras foram retiradas de 12 árvores com 9 anos de idade, ao longo dos eixos longitudinal e radial. A densidade básica média observada foi 0,307 g cm-³. Observou-se aumento da densidade básica no sentido medula-casca e decréscimo no sentido longitudinal apenas da base até 2 m. Foi verificada interação entre as variações nos sentidos radial e longitudinal da madeira, indicando que a densidade da madeira de P. patula varia nos diferentes sentidos de crescimento.

.


Palavras-chave


Espécies introduzidas; Densidade; Pinheiro-de-folhas-pendulas

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, A. V. et al. Espécies de pínus mais plantadas no Brasil: Pinus patula. In: Aguiar, A. V. (Ed.). Sistemas de produção: cultivo do pinus. 2. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2014. Disponível em: . Acesso em: 5 dez 2018.

Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas. Anuário estatístico da ABRAF 2013: ano base 2012. Brasília, DF, 2013. 149 p.

Ballarin, A.W. & Nogueira, M. Determinação do módulo de elasticidade da madeira juvenil e adulta de Pinus taeda por ultra-som. Engenharia Agrícola, v. 25, n. 1, p. 19-28, 2005.

Bartlett, M. S. Properties of sufficiency and statistical tests. Proceedings of the Royal Society A, v. 160, n. 901, p. 268-282, 1937. DOI: 10.1098/rspa.1937.0109.

Chimello, J. Anotações sobre anatomia e identificação de madeiras. São Paulo: IPT, 1980.

Chudnoff, M. Tropical timbers of the world. Washington, DC: U. S. Department of Agriculture, Forest Service, 1984. 466 p. (Agriculture handbook number, 607).

Dvorak, W. S. Pinus patula Schiede & Schltdl. & Cham. In: Vozzo, J. A. (Ed.). Tropical tree seed manual. [S.l.]: USDA Forest Service, 2003. p. 632-635.

Foelkel, C. E. B. et al. Variabilidade no sentido radial de madeira de Pinus elliottii. IPEF, n. 10, p. 1-11, 1975.

Foelkel, C. E. B. Qualidade da madeira de eucalipto para atendimento das exigências do mercado de celulose e papel. In: IUFRO CONFERENCE ON SILVICULTURE AND IMPROVEMENT EUCALYPTS=CONFERÊNCIA IUFRO SOBRE SILVICULTURA E MELHORAMENTO DE EUCALIPTOS, 1997, Salvador. Proceedings...= Anais... Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1997. v. 3, p. 15-22.

Higa, A. R. et al. Variação da densidade básica da madeira de P. elliottii var. elliottii e P. taeda. IPEF, Piracicaba, v. 7, p. 79-89, 1973.

Iwakiri, S. et al. Produção de chapas de madeira aglomerada de cinco espécies de pinus tropicais. Floresta e Ambiente, v. 8, n. 1, p. 137-142, 2001.

Lusweti, A. et al. Pinus patula (Patula Pine). Bionet-internacional. Reino Unido, 2011. Disponível em: < http://keys.lucidcentral.org/keys/v3/eafrinet/weeds/key/weeds/Media/Html/Pinus_patula_(Patula_Pine).htm>. Acesso em: 27 nov 2018.

Melo, J. E. de et al. Classes de densidade para madeiras da Amazônia brasileira. Silvicultura, v. 12, n. 42, p. 695-699, 1992. Edição dos Anais do Congresso Florestal Brasileiro, 6., 1990, Campos do Jordão.

Melo, R. R. et al. Caracterização física e mecânica da madeira de Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 5, n. 1, p. 67-73, 2010.

Melo, R. R. et al. Variação radial e longitudinal da densidade básica da madeira de Pinus elliottii Engelm. com diferentes idades. Ciência da Madeira, v. 4, n. 1, p. 83-92, 2013.

Mendes, L. M. et al. Variação da densidade da madeira de Pinus oocarpa Schiede ex Schltdl. no sentido longitudinal dos caules. Cerne, v. 5, n. 1, 1999.

Moreschi. J. C. Propriedades tecnológicas da madeira. Curitiba: Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal da UFPR, 2005.

Moura, V. P. G. et al. Variação da densidade da madeira de espécies e procedências de Pinus Centro-Americanos em três locais na região dos Cerrados. Boletim de Pesquisa Florestal, n. 22/23, p. 29-44, 1991.

Plaster, O. B. et al. Comportamento de juntas coladas da madeira serrada de Eucalyptus sp. Cerne, v. 14, n. 3, p. 251-258, 2008.

Scott, A. J. & Knott, M. A cluster analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, p. 507-512, 1974.

Sousa, R. C. et al. Efeito da idade e da posição radial na densidade básica e dimensões dos traqueídeos da madeira de Pinus taeda L. Revista do Instituto Florestal, v. 19, n. 2, p. 119-127, 2007.

Souza, V. R. et al. Densidade básica entre procedências, classes de diâmetro e posição em árvores de Eucalyptus grandis e Eucalyptus saligna. IPEF, v. 3, p. 63-72. 1986.

Tomazello Filho, M. Variação radial da densidade básica e da estrutura anatômica da madeira do Eucalyptus saligna e Eucalyptus grandis. IPEF, n. 29, p. 37-45, 1985.

Trianoski, R. et al. Variação longitudinal da densidade básica da madeira de espécies de Pinus tropicais, Floresta, v. 43, n. 3, 2013.

Trugilho, P. F. et al. Influência da idade nas características físico-químicas e anatômicas da madeira de Eucalyptus saligna. Cerne, v. 2, n. 1, p. 15, p, 1996.

Vital, B. R. Métodos de determinação da densidade da madeira. Viçosa, MG: Sociedade de Investigação Florestal, 1984. 21 p.




DOI: https://doi.org/10.4336/2018.pfb.38e201501016



Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional