Qualidade morfológica de mudas de Prunus sellowii submetidas a diferentes substratos

Adriana Falcão Dutra, Maristela Machado Araujo, Anna Paula Lora Zimmermann, Daniele Guarienti Rorato, Suelen Carpenedo Aimi

Resumo


O objetivo desse trabalho foi avaliar diferentes proporções de casca de arroz carbonizada em substrato comercial, no crescimento de mudas de Prunus sellowii em viveiro. Os tratamentos foram compostos de: T1 - 100% substrato comercial (SC); T2 - 90% SC e 10% casca de arroz carbonizada (CAC); T3-80% SC e 20% CAC; T4 -70% SC e 30% CAC; T5 - 60% SC e 40% CAC; T6 - 50% SC e 50% CAC, em delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repetições. Recomenda-se a adição de até 30% de CAC, sem prejuízos ao crescimento dessa espécie em viveiro.

Palavras-chave


Espécie nativa; Regeneração da floresta; Produção de plantas

Texto completo:

PDF

Referências


Alvares, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711–728, 2013. DOI: 10.1127/0941-2948/2013/0507.

Backes, P. & Irgang, B. Árvores do Sul: guia de identificação e interesse ecológico. 2. ed. Porto Alegre: Paisagem do Sul, 2009. 322 p.

Bellote, A. F. J. & Silva, H. D. Técnicas de amostragem e avaliações nutricionais em plantios de Eucalyptus spp. In: Gonçalves, J. L. M. & Benedetti, V. (Ed.). Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: IPEF, 2000. p. 105-133.

Bertacchi, M. I. F. et al. Establishment of tree seedlings in the understory of restoration plantations: natural regeneration and enrichment plantings. Restoration Ecology, v. 24, n. 1, p. 100-108, 2016. DOI: 10.1111/ rec.12290.

Campoe, O. C. et al. Atlantic forest tree species responses to silvicultural practices in a degraded pasture restoration plantation: from leaf physiology to survival and initial growth. Forest Ecology and Management, v. 313, p. 233–242, 2014. DOI: 10.1016/ j.foreco.2013.11.016.

Cruz, C. A. F. et al. Resposta de Mudas deSenna macranthera (Dc. Ex coollad.) H. S. Irmin & Barnaby (fedegoso) Cultivadas em Latossolo Vermelho-Amarelo Distrófico a Macronutrientes. Revista Árvore, v. 34, n. 1, p. 13- 24, 2010. DOI: 10.1590/S0100-67622010000100002.

Davide, A. C. et al. Fatores que afetam a qualidade de mudas destinadas aos projetos de restauração de ecossistemas florestais. In: Davide, A. C. & Botelho, S. A. Fundamentos e métodos de restauração de ecossistemas florestais: 25 anos experiência em mata ciliares. Lavras: Ed. da UFLA, 2015. p. 181-274.

Dickson, A. et al. Quality appraisal of while spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, v. 36, p. 11-13, 1960. DOI: 10.5558/tfc36010-1.

Dutra, A. F. et al. Substrate and irrigation scheme on the growth of Parapiptadenia rigida (angico-vermelho) seedlings. Ciência Rural, v. 46, n. 6, p. 1007-1013, 2016. DOI: 10.1590/0103-8478cr20141732.

Ferez, A. P. C. et al. Silvicultural opportunities for increasing carbon stock in restoration of Atlantic forests in Brazil. Forest Ecology and Management, v. 350, p. 40–45, 2015.

Ferrari, M. et al. Influência de fertilizante de liberação controlada em mudas de Tabernaemontana catharinensis. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 36, n. 88, p. 543-547, 2016. DOI: 10.4336/2016.pfb.36.88.968.

Ferreira, D. F. Sisvar: a guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, v. 38, n. 2, p. 179-182, 2014. DOI: 10.1590/S1413-70542014000200001.

Fonseca, E. P. et al. Padrão de qualidade de mudas de Trema micrantha (L.) Blume, produzidas sob diferentes períodos de sombreamento. Revista Árvore, v. 26, n. 4, p. 515-523, 2002. DOI: 10.1590/S0100-67622002000400015.

Freitas, T. A. S. et al. Desempenho radicular de mudas de eucalipto produzidas em diferentes recipientes e substratos. Revista Árvore, v. 29, n. 6, p. 853-861, 2005. DOI: 10.1590/S0100-67622005000600003

Gasparin, E. et al. Influência do substrato e do volume de recipiente na qualidade das mudas de Cabralea canjerana (Vell.) Mart. em viveiro e no campo. Ciência Florestal, v. 24, n. 3, p. 553-563, 2014. DOI: 10.1590/1980-509820142403004.

Gomes, J. M. & Paiva, H. N. Viveiros florestais: propagação sexuada. Viçosa, MG: Ed. da UFV, 2011. 116 p. (Série didática).

Gonçalves, E. O. et al. Nutrição de mudas de angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan) submetidas a doses de N, P, K, Ca e Mg. Revista Árvore, v. 36, n. 2, p. 219-228, 2012. DOI: 10.1590/S0100-67622012000200003.

Kämpf, A. N. Produção comercial de plantas ornamentais. 2. ed. Guaíba: Agrolivros, 2005. 256 p.

Knapik, J. G. & Angelo, A. C. Pó de basalto e esterco eqüino na produção de mudas de Prunus sellowii Koehne (Rosaceae). Floresta, v. 37, n. 3, p. 427-436, 2007. DOI: 10.5380/rf.v37i3.9939.

Melo, L. A. et al. Crescimento de mudas de Eucalyptus grandis e Eremanthus erythropappus sob diferentes formulações de substrato. Floresta e Ambiente, v. 21, p. 234-242, 2014. DOI: 10.4322/floram.2014.028.

Mezzomo, J. C. et al. Does the quality of Luehea divaricata seedlings in the nursery correspond to their behavior in the field? African Journal of Agricultural Research, v. 12, n. 8, p. 658-663, 2017. DOI: 10.5897/AJAR2016.11881.

Regan, R. P. Evaluating alternative growing media components. In: Wilkinson, K. M. et al. (Ed.). National proceedings: Forest and Conservation Nursery Associations: 2013. Fort Collins: U.S. Department of Agriculture, Forest Service, Rocky Mountain Research Station, 2014. p. 50-53.

Rorato, D. G. et al. Tolerance and resilience of forest species to frost in restoration planting in Southern Brazil. Restoration Ecology, v. 25, n. 5, 2017. DOI: 10.1111/rec.12596.

Saidelles, F. L. F. et al. Casca de arroz carbonizada como substrato para produção de mudas de tamboril-da-mata e garapeira. Semina, v. 30, p. 1173-1186, 2009. DOI: 10.5433/1679-0359.2009v30n4Sup1p1173.

Soares, F. C. et al. Consumo de água pela cultura do lírio, cultivado em substratos alternativos em condições de ambiente protegido. Ciência Rural, v. 42, n. 6, p. 1001-1006, 2012. DOI: 10.1590/S0103-84782012000600008.




DOI: https://doi.org/10.4336/2017.pfb.37.92.1031



Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional