Controle de taquaras como alternativa para a recuperação da Floresta com Araucária

Carlos Roberto Sanquetta

Resumo


Taquaras ocorrem abundantemente em florestas antropizadas com Araucaria angustifolia. Evidências
levam a crer que existe uma relação de dependência entre a sua presença e o grau de estabelecimento de espécies arbóreas. O objetivo deste trabalho é avaliar o estabelecimento de plântulas espontaneamente regeneradas em áreas com forte presença de taquaras. Foi instalado um experimento no extremo sul do Paraná, com área de um hectare, por delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos e cinco repetições. Os resultados aos 18 meses revelaram que o corte das taquaras provocou o reaparecimento de muitas espécies e também o aumento na densidade dos táxons arbóreos. O controle mecânico das taquaras via corte, combinado com a remoção de biomassa e desbastes no sub-dossel, promove o re-estabelecimento de plântulas da maioria das
espécies, mas cada uma reage de forma diferente, dependendo de seu status sucessional. De modo geral,
conclui-se que a resposta da floresta a intervenções é muito rápida. No período avaliado, o efeito do controle
das taquaras sobre a regeneração foi significativo, indicando que as práticas de manejo podem auxiliar a restaurar ecossistemas com este tipo de degradação.

Palavras-chave


Araucária, taquara, regeneração natural, estabelecimento de plântulas

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2010

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional