Condutância estomática, fotossíntese, luz, temperatura, transpiração

Miroslava Rakocevic, Moacir José Sales Medrado, Osmir José Lavoranti

Resumo


Neste estudo preliminar foram determinadas as propriedades ecofisiológicas de plantas femininas e masculinas da erva-mate (Ilex paraguariensis St.Hil.)  cultivadas no campo. Fluxo de fótons ativo na  fotossíntese (PPFD), condutância estomática (gs), fotossíntese liquida (A), transpiração (E) e temperatura foliar (Tl) foram avaliados em um ciclo bienal de  produção: no verão (janeiro e fevereiro) durante o  período de maturação dos frutos quando ocorre pausa no crescimento; na primavera (novembro) e no outono (março a junho) durante emissão de novas brotações. As medições foram efetuadas em diferentes posições na copa (interior, exterior e ponteiras). Resultados indicam existência de dimorfismo sexual fisiológico na espécie. A condutância foi superior nas plantas  femininas, exceto nas ponteiras. A e E foram superiores na parte exterior do terço médio das copas
das plantas femininas. Foi detectada sazonalidade na troca gasosa, com os maiores valores registrados na época de emissão de novas brotações e menores durante a fase de maturação dos frutos.  Observaram-se correlações positivas entre trocas  gasosas e PPFD. A e E correlacionaram-se positivamente com a gs, tanto para plantas masculinas quanto femininas. A estratégia funcional das plantas fêmeas, com o propósito de finalização do processo de reprodução, é de proporcionar o aumento relativo da fotossíntese e da transpiração das folhas sombreadas por intermédio de um maior valor de gs, quando comparado com indivíduos masculinos.

Palavras-chave


Condutância estomática, fotossíntese, luz, temperatura, transpiração

Texto completo:

PDF (English)




Direitos autorais 2010

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional