Estudo de áreas suscetíveis a movimentos de massa na Rodovia RS-486 – Rota do Sol

Michele Monguilhott, Dejanira Luderitz Saldanha, Elódio Sebem, Sergio Florêncio de Souza

Resumo


O desenvolvimento de novos aglomerados urbanos, bem como a necessidade de escoamento da produção de bens e a maior circulação de pessoas, exige a intervenção do homem em espaços antes não habitados ou preservados da interferência humana. Obras de infraestrutura têm efeito direto sobre os ecossistemas e a RS 486 provoca, além do impacto visual na paisagem, uma forte fragmentação no bioma Mata Atlântica. A retirada da vegetação no entorno da rodovia pode facilitar a ocorrência de desastres naturais relacionados com mudanças na geomorfologia e nos processos intempéricos, resultando em erosão e acomodação do solo. Com o objetivo de mapear áreas vulneráveis e suscetíveis a movimentos de massa na sub-bacia hidrográfica do Rio Três Forquilhas, ao longo da rodovia RS 486, foram empregadas técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto para a elaboração de mapas de vulnerabilidade ambiental a partir do emprego das variáveis como o uso do solo, geomorfologia, geologia, modelo digital de elevação (MDE), declividade e índices de vegetação (NDVI), aplicando-se o método de análise hierárquica de apoio à decisão conhecido como análise hierárquica de decisão (AHD). Os mapas resultantes atendem ao propósito de definir áreas prioritárias para a atuação da Defesa Civil do Estado do Rio Grande do Sul.

doi: 10.4336/2010.pfb.30.61.61


Palavras-chave


Vulnerabilidade, movimento de massa, bioma, rodovias, geoprocessamento, sensoriamento remoto.

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2010

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional