Biomassa de espécies florestais em área de caatinga arbórea

Aline Pereira Virgens, Patrícia Anjos Bittencourt Barreto-Garcia, Alessandro de Paula, Flávia Ferreira de Carvalho, Mariana de Aquino Aragão, Paulo Henrique Marques Monroe

Resumo


Estudos sobre quantificação de biomassa florestal na Caatinga ganham importância diante da escassez de informações relacionadas ao tema no bioma e, em particular, no estado da Bahia. Este estudo teve como objetivo avaliar os estoques de biomassa e sua distribuição nos componentes da parte aérea de espécies florestais de maior densidade populacional e o potencial de utilização do fator de expansão de biomassa (FEB) médio para obtenção de estimativas de biomassa aérea em área de Caatinga localizada na Floresta Nacional Contendas do Sincorá, BA. A biomassa foi quantificada pelo método destrutivo. Foram selecionadas e abatidas árvores representativas das nove espécies de maior densidade populacional, distribuídas em três classes diamétricas. As quantidades médias de biomassa total e carbono por árvore, considerando o conjunto das espécies amostradas, foram estimadas em 50,7 kg arv-1 e 25,3 kg arv-1. Jatropha mollissima mostra-se dissimilar quanto à alocação de biomassa (galhos > fuste > folhas) em relação às demais espécies (fuste > galhos > folhas). Os maiores valores médios de biomassa individual foram verificados nas espécies Commiphora leptophloeos (171 kg arv-1), Coccoloba oblonga (76 kg arv-1) e Pseudobombax simplicifolium (40 kg arv-1). O FEB médio obtido para o conjunto das espécies (1,74) propiciou valores estimados próximos dos reais.

Palavras-chave


Floresta nacional; Biomassa acima do solo; Carbono

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, A. R. Quantificação de biomassa e ciclagem de nutrientes em áreas de vegetação de caatinga no município de Floresta, Pernambuco. Sapiência, v. 1, p. 10, 2012.

Amorim, I. et al. Flora e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de caatinga do Seridó. Acta Botanica Brasilica, v. 19, n. 3, p. 615-623, 2005. DOI: 10.1590/S0102-33062005000300023.

Behling, A. et al. Teores de carbono orgânico de três espécies arbóreas em diferentes espaçamentos. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, p. 13-19, 2014. DOI: 10.4336/2014.pfb.34.77.562.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Caatinga. Brasília, DF, 2014. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2014.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Unidades de conservação por bioma. Brasília, DF, 2012. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2017.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Plano de manejo da Floresta Nacional Contendas do Sincorá. volume I: informações gerais sobre a floresta nacional. 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2014.

Cabral, G. A. L. et al. Estrutura espacial e biomassa da parte aérea em diferentes estádios sucessionais de Caatinga, em Santa Terezinha. Revista Brasileira de Gografia Física, v. 6, n. 03, p. 566-574, 2013.

Cunha, G. M. et al. Biomassa e estoque de carbono e nutrientes em Florestas Montanas da Mata Atlântica na região Norte do Estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 33, p. 1175-1185, 2009. DOI: 10.1590/S0100-06832009000500011.

Drumond, M. A. et al. Produção e distribuição de biomassa de espécies arbóreas no semi-árido brasileiro. Revista Árvore, v. 32, n. 4, p. 665-669, 2008. DOI: 10.1590/S0100-67622008000400007.

Intergovernmental Panel on Climate Change. Good practice guidance for land use, land-use change and forestry. Hayama: Institute for Global Environmental Strategies, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2017.

Intergovernmental Panel on Climate Change. Guidelines for national greenhouse gas inventories: agriculture, forestry and other land use. [S.l.]: Institute for Global Environmental Strategies, 2006. v. 2. p. 2-59. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2017.

Kohler, S. V. et al. Modelos de afilamento para Pinus taeda por classes de idade. Floresta e Ambiente, v. 20, n. 4, p. 470-479, 2013. DOI: 10.5902/1980509825120.

Kuzyarov, Y. & Domanski, G. Carbon input by plants into the soil: review. Jornaul of Plant Nutrition and Soil Science, v. 163, p. 421-431, 2000. DOI: 10.1002/1522-2624(200008)163.

Lima, A. L. A. & Rodal, M. J. N. Phenology and wood density of plants growing in the semi-arid region of northeastern Brazil. Journal of Arid Environments, v. 74, p. 1363-1373, 2010. DOI: 10.1016/j.jaridenv.2010.05.009.

Lima Júnior, C. et al. Estimativa de biomassa lenhosa da caatinga com uso de equações alométricas e índice de vegetação. Scientia Forestalis, v. 42, n. 102, p. 289-298, 2014.

Lima, M. C. D. et al. Biomass and carbon stock from Pinus caribaea var. hondurensis under homogenous stands in southwest Bahia, Brazil. Ciência Rural, v. 46, p. 957-962, 2016. DOI: 10.1590/0103-8478cr20150493.

Neves, E. L. et al. Comportamento fenológico de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) da Caatinga, semi-árido do Brasil. Revista Brasileira Botânica, v. 33, n. 1, p. 155-166, 2010. DOI: 10.1590/S0100-84042010000100014.

Ratuchne, L. C. et al. Estado da arte na quantificação de biomassa em raízes de formações florestais. Floresta e Ambiente, v. 23, n. 3, 2016. DOI: 10.1590/2179-8087.131515.

Sampaio, E. V. S. B. Características e potencialidades. In: Gariglio, M. A. et al. (Ed.). Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da Caatinga. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, Serviço Florestal Brasileiro, 2010. p. 29-48.

Sanquetta, C. R. et al. Estimativa de carbono individual para Araucaria angustifolia. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 44, p. 1-8, 2014. DOI: 10.1590/S1983-40632014000100006.

Schikowski, A. B. et al. Análise e ajuste do fator de expansão de biomassa e razão raízes-parte aérea para álamo. Enciclopédia Biosfera, v. 11, p. 107-119, 2015.

Segura, M. & Kanninen, M. Allometric models for tree volume and total aboveground biomass in a tropical humid forest in Costa Rica. Biotropica, v. 37, n. 1, p. 2–8, 2005.

Silva, G. C. & Sampaio, E. V. S. B. Biomassa de partes aéreas em plantas da Caatinga. Revista Árvore, v. 32, n. 3, p. 567-575, 2008. DOI: 10.1590/S0100-67622008000300017.

SILVA, J. M. C. da et al. (Org.). Biodiversidade da caatinga: áreas e ações prioritárias para a conservação. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente: Universidade Federal de Pernambuco, 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2016.

Silveira, P. Estimativa da biomassa e carbono acima do solo em um fragmento de Floresta Ombrófila Densa utilizando o método da derivação do volume comercial. Floresta, v. 40, n. 4, p. 789-800, 2010.

Silveira, P. et al. O estado da arte na estimativa de biomassa e carbono em formações florestais. Floresta, v. 38, n. 1, p. 185-206, 2008.

Soares, C. P. B. et al. Dendrometria e inventário florestal. 2. ed. Viçosa, MG: Ed. da UFV, 2011. 270 p.

The Field Museum. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2017.

Trópicos. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2017.

Vogel, H. L. M. et al. Quantificação da biomassa em uma floresta estacional decidual em Itaara, Ciência Florestal, v. 16, n. 4, p. 419-425, 2006. DOI: 10.5902/198050981923.




DOI: https://doi.org/10.4336/2017.pfb.37.92.1465



Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional