Tamanho amostral para detecção de diferenças significativas entre tratamentos

Marcos Deon Vilela de Resende, José Alfredo Sturion, José Carlos Duarte Pereira

Resumo


No presente trabalho são apresentados os tamanhos amostrais adequados à detecção de diferenças significativas entre tratamentos experimentais empregados na pesquisa científica. A abordagem empregada baseia-se na magnitude do coeficiente de determinação (R2) dos efeitos de tratamentos. O tamanho amostral necessário diminui com o aumento do R2 da variável. Para detecção de diferenças de magnitudes equivalente a um desvio padrão da variável, o tamanho amostral necessário varia de 15 a 5 para R2 variando de 5% a 70%.


Palavras-chave


Estatística experimental; Amostragem; Pesquisa científica

Texto completo:

PDF

Referências


RESENDE, M. D. V. Genética biométrica e estatística no melhoramento de plantas perenes. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2002. 975 p.

SNEDECOR, G. W.; COCHRAN, W. G. Statistical methods. 6th ed. Iowa: Iowa State University Press, 1967. 507 p.

STEEL, R. G. D.; TORRIE, J. H. Principles and procedures of statistics. 2th ed. New York: Mc Graw-Hill, 1980. 633 p.






Direitos autorais 2004

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional