Propriedades de painéis aglomerados produzidos com madeiras de Ligustrum lucidum e Pinus taeda

Pâmela Caroline Lau Sozim, Lygia Maria Napoli, Fabiane Salles Ferro, Erick Chagas Mustefaga, Éverton Hillig

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar as propriedades físicas e mecânicas de painéis aglomerados produzidos com madeira de Ligustrum lucidum W.T. Aiton, pura ou com Pinus taeda, e comparar as propriedades desses painéis com os requisitos normativos e com os produzidos somente com Pinus taeda. Os painéis foram produzidos com adesivos uréia-formaldeído e tanino-formaldeído na proporção de 10% de massa de sólido sobre a massa seca de partículas. Para a confecção dos painéis, foi estabelecida massa específica nominal de 0,75 g cm-³, pressão específica de 3,92 MPa, temperatura de 160 °C e tempo de prensagem de 8 min para o adesivo uréia-formaldeído e 10 min para tanino-formaldeído. Após o período de climatização dos painéis, foram confeccionados os corpos de prova destinados aos ensaios físicos e mecânicos. Verificou-se que apenas madeira de Ligustrum lucidum com adesivo tanino-formaldeído, bem como a combinação de madeiras e adesivo uréia-formaldeído, proporcionou aos painéis melhores propriedades físicas e mecânicas. Esses tipos de painéis atenderam aos requisitos normativos de propriedades mecânicas e demonstraram que L. lucidum tem potencial para uso na produção de painéis aglomerados.



Palavras-chave


Alfeneiro do Japão; Propriedades da madeira; Chapas de madeira

Texto completo:

PDF

Referências


American Society for Testing and Materials. ASTM D 1037–06a: standard test methods for evaluating properties of woo-base fiber and particle panel materials. Philadelphia, 2006.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7190: projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, 1997.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 11941: madeira: determinação da massa específica básica. Rio de Janeiro, 2003.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14810-2: chapas de madeira aglomerada: parte 2: requisitos. São Paulo, 2006.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14810-2: painéis de partículas de média massa específica: parte 2: requisitos e métodos de ensaio. São Paulo, 2013.

Bianche, J. J. et al. Propriedades de painéis aglomerados fabricados com partículas de eucalipto (Eucalyptus urophylla), paricá (Schizolobium amazonicum) e vassoura (Sida spp.). Cerne, v. 18, n. 4, p. 623–630, 2012. DOI: 10.1590/S0104-77602012000400012.

Carneiro, A. C. O. et al. Propriedades de chapas de aglomerado fabricadas com adesivo tânico de angico-vermelho (Anadenanthera peregrina) e uréia-formaldeído. Revista Árvore, v. 33, n. 3, p. 521-531, 2009. DOI: 10.1590/S0100-67622009000300014.

Carvalho, A. G. et al. Avaliação de adesivos à base de taninos de Pinus caribaea var. bahamensis e de Acacia mearnsii na fabricação de painéis aglomerados. Ciência Florestal, v. 24, n. 2, p. 479-489, 2014. DOI: 10.5902/1980509814588.

Commercial Standard. CS 236-66: mat formed wood particleboard. Geneva, 1968.

Ditomaso, J. M. et al. Weed control in natural areas in the western United States. California: University of California, Weed Research and Information Center, 2013. 544 p.

Emer, A. A. et al. Avaliação quantitativa e qualitativa da arborização do bairro Santa Terezinha na cidade de Pato Branco (PR). Ambiência, v. 9, n. 1, p. 129-143, 2013. DOI: 10.5777/ambiencia.2013.01.09.

European Committee for Standardization. EN 312: particleboards: specifications. Bruxelas, 2003.

Gonçalves, F. G. et al. Estudo de algumas propriedades mecânicas da madeira de um híbrido clonal de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis. Revista Árvore, v. 33, n. 3, p. 501-509, 2009. DOI: 10.1590/S0100-67622009000300012.

Indústria Brasileira de Árvores. Relatório Ibá 2017. Brasília, DF, 2017. 80 p.

Iwakiri, S. et al. Avaliação do potencial de utilização da madeira de Schizolobium amazonicum “Paricá” e Cecropia hololeuca “Embaúba” para produção de painéis aglomerados. Acta Amazonica, v. 40, n. 2, p. 303-308, 2010. DOI: 10.1590/S0044-59672010000200008.

Johnson, S. B. Privet speciesʹare we sitting on species time bombs? In: BIENNIAL NSW WEEDS CONFERENCE, 15., 2009, Narrabri. Proceedings... Narrabri: [s.n.], 2009.

Kanieski, M. R. et al. Parâmetros climáticos e incremento diamétrico de espécies florestais em Floresta Aluvial no Sul do Brasil. Floresta e Ambiente, v. 24, e00124814, 2017. DOI: 10.1590/2179-8087.124814.

Lorenzi, H. et al. Árvores exóticas no Brasil: madeiras, ornamentais e aromáticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2003. 368 p.

Maloney, T. M. Modern particleboard & dry-process fiberboard. San Francisco: Miller Freeman, 1993. 681 p.

Melo, R. R. et al. Avaliação das propriedades físico-mecânicas de painéis aglomerados de Eucalyptus grandis colados com ureia-formaldeído e tanino-formaldeído. Floresta, v. 40, n. 3, p. 497-506, 2010. DOI: 10.5380/rf.v40i3.18911.

Momentive Química do Brasil. Cascamite (TM) MDP 1212. Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos, Curitiba, 2012. 11 p.

Moslemi, A. A. Particleboard: volume 1: materials. London: Southern Illinois University Press, 1974. 244 p.

Napoli, L. M. et al. Propriedades físicas da madeira e de painéis aglomerados produzidos com misturas de espécies florestais. Floresta, v. 43, n. 3, p. 475-484, 2013. DOI: 10.5380/rf.v43i3.26204.

Sanches, F. L. et al. Resistência de painéis aglomerados produzidos com mistura de madeira de espécies florestais tradicionais e não tradicionais. Ciência Florestal, v. 26, n. 2, p. 559-569, 2016. DOI: 10.5902/1980509822756.

Tanac, S. A. & Phenotan, A. G. Adesivo para aglomerados: catálogo técnico. Montenegro: [s.n.], 2014. 6 p.

Trianoski, R. et al. Utilização da madeira de Cryptomeria japonica para produção de painéis aglomerados. Scientia Forestalis, v. 41, n. 97, p. 57 – 64, 2013.

Trianoski, R. et al. Viabilidade da utilização de Acrocarpus fraxinifolius em diferentes proporções com Pinus spp. para produção de painéis aglomerados. Scientia Florestalis, v. 39, n. 91, p. 343-350, 2011.

Vale, A. T. et al. Caracterização e uso de madeiras de galhos de árvores provenientes da arborização de Brasília, DF. Ciência Florestal, v. 15, n. 4, p. 411-420, 2005. DOI: 10.5902/198050981878.




DOI: https://doi.org/10.4336/2019.pfb.39e201801696



Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional