Influência do tamanho e da escarificação dos diásporos na emergência e estabelecimento de Pterodon emarginatus

Nayara Mesquita Mota, Evandro Alexandre Fortini, Giovana Rodrigues Luz, Maria das Dores Magalhães Veloso, Geraldo Wilson Fernandes, Yule Roberta Ferreira Nunes

Resumo


Esse trabalho buscou verificar a influência do tamanho dos diásporos e de tratamentos de escarificação sobre a taxa de emergência e crescimento inicial de Pterodon emarginatus Vog. (Fabaceae) após um ano de armazenamento. Diásporos da espécie foram medidos, pesados e separados em três classes de tamanho, com amplitude determinada pela largura do fruto, sendo submetidos posteriormente à escarificação térmica e mecânica. Foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado, com 10 repetições. Foi realizada análise de sobrevivência, além de análise de variância e pós-teste de Tukey, para verificar diferenças significativas na porcentagem de emergência dos diásporos. Para detectar a variação no crescimento inicial das plântulas utilizaram-se modelos lineares generalizados. Os tratamentos consorciados com os maiores diásporos influenciaram positivamente a porcentagem de emergência. Diásporos maiores também resultaram em plântulas com maiores diâmetros e maior comprimento do caule. A escarificação mecânica proporcionou maior alocação de biomassa nas raízes. Sugere-se que diásporos de P. emarginatus sejam submetidos a tratamentos pré-germinativos, para potencializar a emergência e formação de plântulas, sendo recomendada a seleção dos diásporos maiores.


Palavras-chave


Biometria; Dormência; Propagação vegetal

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, S. D. et al. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina, DF: Embrapa-CPAC, 1998. 464 p.

Arruda, D. M. et al. Germinação de sementes de três espécies de Fabaceae típicas de floresta estacional decidual. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 35, n. 82, p. 135-142, 2015. https://doi.org/10.4336/2015.pfb.35.82.672.

Bewley, J.D. et al. Seeds: physiology of development, germination and dormancy. New York, NY: Springer Science & Business Media, 2013. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-4693-4.

Biruel, R. P. et al. Germinação de sementes de Caesalpinia leiostachya (benth.) Ducke (pau-ferro) classificadas pelo tamanho e pela forma. Revista Árvore, v. 34, n. 2, p. 197-204, 2010. https://doi.org/10.1590/S0100-67622010000200001.

Broadhurst, L. M. et al. Maximizing seed resources for restoration in an uncertain future. Bioscience, v. 66, n. 1, p. 73-79, 2016. https://doi.org/10.1093/biosci/biv155.

Ceccon, E; et al. Is direct seeding a biologically viable strategy for restoring forest ecosystems? Evidences from a Meta‐analysis. Land Degradation and Development, v. 27, n. 3, p. 511-520, 2016. https://doi.org/10.1002/ldr.2421.

Coelho, M. C. F. et al. Germinação de sementes de sucupira branca (Pterodon pubescens (Benth.) Benth.] in vitro e ex vitro. Ciência Agrotécnica, v. 25, n. 1, p. 38-48, 2001.

Costa, P. A. et al. Quebra de dormência em sementes de Adenanthera pavonina L. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 40, n. 1, p. 83-88, 2010. https://doi.org/10.5216/pat.v40i1.4092

Doussi, M. A. & Thanos, C. A. Ecophysiology of seed germination in Mediterranean geophytes. 1. Muscari spp. Seed Science Research, v. 12, n. 3, p. 193-201, 2002. https://doi.org/10.1079/SSR2002111.

Elzenga, J. T. M. & Bekker, R. M. Seed germination: ecological aspects–special issue editorial. Plant Biology, v. 19, n. 1, p. 3-5, 2017. https://doi.org/10.1111/plb.12522.

Ferreira, R. A. et al. Morfologia da semente e de plântulas e avaliação da viabilidade de sementes de sucupira-branca (Pterodon pubescens Benth. - FABACEAE) pelo teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes, v. 23, n. 1, p. 108-115, 2001.

Fundação Biodiversitas. Listas vermelhas das espécies da fauna e da flora ameaçada de extinção em Minas Gerais. Mendonça M. P. (Coord.). 2007. Disponível em: <http://www.biodiversitas.org.br/cdlistavermelha/default.asp >. Acesso em: 05 fev. 2014.

Inmet. Instituto Nacional de Meteorologia. Inmet 1931-2000. Disponível em: <http://www.inmetgov.br>. Acesso em: 22 nov. 2008.

Larson, J. E., et al. Seed and seedling traits affecting critical life stage transitions and recruitment outcomes in dryland grasses. Journal of Applied Ecology, v. 52, n. 1, p. 199-209, 2015.

Lima, J. R. et al. Using legumes as indicators in the seasonally dry vegetation types in South America. Ecological indicators, v. 73, p. 708-715, 2017.

Lorenzi, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 227 p.

Matos, P. S. et al. Superação de dormência em sementes de Pterodon emarginatus Vog. (sucupira branca) – Leguminosae (Papilionoideae). Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. 2, p. 720-722, 2007.

Maguire, J. D. Speed of germination: aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

Melo, F. P. L. et al. Recrutamento e estabelecimento de plântulas. In: Ferreira, A.G. & Borghetti, F. (Eds.). Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 237-249.

Nascimento, H. H. C. et al. Análise do crescimento de mudas de jatobá (Hymenaea courbaril L.) em diferentes níveis de água no solo. Revista Árvore, v. 35, n. 3, p. 617-626, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622011000400005.

Nunes, Y. R. F. et al. Pandeiros: o pantanal mineiro. MG Biota, v. 2, n. 2, p. 4-17, 2009.

Oliveira, D. A. et al. Potencial germinativo de sementes de fava-d’anta (Dimorphandra mollis Benth. – Fabaceae: Mimosoideae) sob diferentes procedências, datas de coleta e tratamentos de escarifcação. Revista Árvore, v. 32, n. 6, p. 1001-1009, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622008000600005.

Pereira, V. J. et al. Eficiência dos tratamentos para a superação ou quebra de dormência de sementes de Fabaceae. Revista de Ciências Agrárias, v. 37, n. 2, p. 187-197, 2014.

Pereira, W. A. et al. Influence of seed size and water restriction on germination of soybean seeds and on early development of seedlings. Journal of Seed Science, v. 35, n. 3, p. 316-322, 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S2317-15372013000300007.

Popinigis, F. Fisiologia da semente. Agiplan, Brasília, DF, 1977. 289 p.

Prado Júnior, J. A. et al. Estrutura da comunidade arbórea em um fragmento de floresta estacional semidecidual localizada na reserva legal da Fazenda Irara, Uberlândia, MG. Bioscience Journal, v. 26, n. 4, p. 638-647, 2010.

R Development Core Team. R: a language and environment for statistical computing. Vienna, [2011]. Disponível em: <http://www.R-project.org>. Acesso em: 10 july 2014.

Reis, G. G. et al. Estudos sobre a dormência de sementes de sucupira (Pterodon pubescens): tratamentos para a superação de dormência. 1985. Revista Árvore, v. 9, n. 1, p. 49-57, 1985.

Reis, G. G. et al. Germinação de sementes de essências florestais. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 15, n. 1, p. 97-100, 1980.

Rose, S. & Poorter, L. The importance of seed mass for early regeneration in tropical forest: a review. In: Ter Steege, H. (Ed.) Long term changes in composition and diversity: case studies form the Guyana Shield. [S. l.]: Tropenhos Foundation, 2002. p. 19-35.

Saboya, P. & Borghetti, F. Germination, initial growth, and biomass allocation in three native Cerrado species. Brazilian Journal of Botany, v. 35, n. 2, p. 129-135, 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-84042012000200002.

Saldanha, C. W. et al. Weight is a key factor in the physiological quality of Parapiptadenia rigida seeds. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 38, p. 1-7, 2018. http://dx.doi.org/10.4336/2018.pfb.38e201701501.

Santos, A. P. et al. Composição química, atividade antimicrobiana do óleo essencial e ocorrência de esteróides nas folhas de Pterodon emarginatus Vogel, Fabaceae. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 20, n. 6, p. 891-896, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-695X2010005000052.

Silva, D. L. et al. Emergência e estabelecimento de plântulas de :Guazuma ulmifolia Lam. em função de diferentes tratamentos pré-germinativos. Ciência Florestal, v. 26, n. 3, p. 763-772, 2016. http://dx.doi.org/10.5902/1980509824205.

Smith, P. The book of seeds: a lifesize guide to six hundred species from around the world. London: Ivy Press, 2018.

Soares, G. O. D. S. et al. Methods for overcoming dormancy in teak diaspores. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 47, n. 4, p. 384-389, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1983-40632017v4749762.

Souza, A. D. G. et al. Correlation of biometrical characteristics of fruit and seed with twinning and vigor of Prunus persica rootstocks. Journal of Seed Science, v. 38, n. 4, p. 322-328, 2016. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1545v38n4164650.

Souza, M. L. & Fagundes, M. Seed size as key factor in germination and seedling development of Copaifera langsdorffii (Fabaceae). American Journal of Plant Sciences, v. 5, n. 17, p. 2566-2572, 2014. http://dx.doi.org/10.4236/ajps.2014.517270.

Statsoft Inc. Statistica: data analysis software system: version 10. 2011. Disponível em: <www.statsoft.com>. Acesso em: 10 ago. 2013.

Statton, J. et al. Identifying critical recruitment bottlenecks limiting seedling establishment in a degraded seagrass ecosystem. Scientific Reports, v. 7, n. 1, p. 14786. 2017.

Terra, L. B. et al. Aspectos morfológicos do fruto, semente e desenvolvimento pós-seminal de sucupira-branca (Pterodon emarginatus Vog. - Fabaceae). Revista Agro Tropical, v. 9, p. 36-54, 2007.

Therneau, T. A package for survival analysis in S. R package version 2.37-7. 2014. Disponível em: <http://CRAN.R-project.org/package=survival>. Acesso em: 15 out. 2015.

Vendramin, D. W. & Carvalho, R. I. N. Qualidade fisiológica de sementes de pitangueira (Eugenia uniflora L.) (Myrtaceae). Estudos de Biologia, v. 35, n. 84, p. 59-65, 2013. https://doi.org/10.7213/estud.biol.7850.

Westoby, M. et al. Plant ecological strategies: some leading dimensions of variation between species. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 33, n. 1, p. 125-159, 2002. https://doi.org/10.1146/annurev.ecolsys.33.010802.150452.

Zar, J. H. Biostatistical analysis. 5th ed. Upper Saddle River, New Jersey: Prentice Hall, 2010.




DOI: https://doi.org/10.4336/2019.pfb.39e201801743



Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional