Influência da sazonalidade ambiental em atributos reprodutivos de Moringa oleifera

Adglecianne de Sousa Melo, Letícia Carvalho Benitez, Veralucia Santos Barbosa

Resumo


Moringa oleifera Lam. é uma espécie tolerante a ambientes áridos e semi-áridos, como o nordeste brasileiro. Nessa região as condições climáticas fazem da água um recurso escasso. A limitação hídrica afeta o crescimento e desenvolvimento vegetal e seu impacto dependerá da sua duração, intensidade e estádio de desenvolvimento da planta. Durante o período reprodutivo o déficit hídrico pode ser crítico, pois nesta fase há alta demanda hídrica. O presente trabalho teve o objetivo de verificar como os atributos reprodutivos de M. oleifera respondem à sazonalidade do semi-árido brasileiro. Partimos da hipótese que atributos como tamanho dos frutos, número e qualidade fisiológica das sementes são diferentes entre a estação seca e chuvosa, apresentando valores inferiores para a estação seca. Foram analisadas as características biométricas dos frutos e a germinação de sementes de M. oleifera produzidos nas duas estações. Observaram-se diferenças no peso, comprimento dos frutos e número de sementes, assim como velocidade e porcentagem de germinação entre as estações, sendo os valores superiores para a estação chuvosa. A sazonalidade afetou aspectos reprodutivos importantes para o sucesso de recrutamento e estabelecimento dessa espécie, evidenciando que, mesmo tolerando à seca, o déficit hídrico pode limitar o sucesso reprodutivo de M. oleifera.


Palavras-chave


Estresse abiótico; Germinação; Sazonalidade

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Aesa. Agência Executiva de Gestão de Águas. Metereologia: chuvas para o município de Cajazeiras–PB. João Pessoa, [2017]. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017.

Araújo, M. et al. Plasticity of young Moringa oleifera L. plants to face water deficit and UVB radiation challenges. Journal of Photochemistry & Photobiology, B: Biology, v. 1, n. 162, p. 278-285, 2016. https://doi.org/10.1016/j.jphotobiol.2016.06.048.

Araújo, S. M. S. A região semiárida do Nordeste: questões ambientais e possibilidades de uso sustentável dos recursos. Revista Rios Eletrônica, v. 5, n. 5, p. 89-98, 2011.

Ayres, M. et al. BIOESTAT: aplicações estatísticas nas áreas das ciências bio-médicas. Belém, PA, 2007.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Regras para análise de sementes. Brasília, DF, 2009. 399 p.

Dao, M. C. E. et al. Germination and seed traits variations among West African provenances of Moringa oleifera Lam. (Burkina Faso). African Journal of Agricultural Research, v. 12, n. 9, p. 730-739, 2017. https://doi.org/10.5897/AJAR2016.11882.

Gómez, A. V. & Angulo, K. J. O. Revisión de las características y usos de la planta Moringa oleífera. Investigación & Desarollo, v. 22, n. 2, p. 309-330, 2014.

Hassan, F. A. G & Ibrahim, M. A. Moringa oleifera: nature is most nutritious and multi- purpose tree. International Journal of Scientific and Research Publications, v. 3, n. 4, p. 1-5, 2013.

Inmet. Instituto Nacional de Metereologia. Mapas do boletim agroclimatológico. Disponível em: < http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=agrometeorologia/boletimAgroclimatologico>. Acesso em: 15 set. 2017.

Jyothi, P. V et al. Pollination ecology of Moringa oleifera (Moringaceae): proceedings: Plant Sciences, v. 100, n. 1, p. 33-42, 1990.

Kshirsagar, R. B. et al. Studies on morphological and nutritional characteristics of different parts (Leaf, flower and pods) of Moringa oleifera (Variety: koimtoor -1). International Journal of Processing and Post Harvest Technology, v. 7, n. 2, p. 237-242, 2016.

López, R. et al. Osmotic adjustment is a significant mechanism of drought resistance in Pinus pinaster and Pinus canariensis. Investigación Agraria, v. 18, n. 2, p. 159-166, 2009.

Macedo, M. C de. et al. Biometria de frutos e sementes e germinação de Magonia pubescens ST. Hil (Sapindaceae). Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 2, p. 202-211, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222009000200024.

Machado, R. S. et al. Respostas biométricas e fisiológicas ao déficit hídrico em cana-de-açucar em diferentes fases fenológicas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 44, n. 12, p. 1575-1582, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2009001200003.

Maguire, J. D. Speed of germination and in selection and evaluation for seedlings emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962. Avaliable from: < https://dl.sciencesocieties.org/publications/cs/abstracts/2/2/CS0020020176/>. Acess on: 8 set. 2017.

Méndez, Y. D. R. et al. Physiological response of oil palm interspecific hybrids (Elaeis oleifera H.B.K. Cortes versus Elaeis guineensis Jacq.) to water deficit. Brazilian Journal Plant Physiology, v. 24, n. 4, p. 273-280, 2012.

Ndubuaku, U. M. Yeld, characteristics of Moringa oleiferai across diffentes ecologies in Nigeria as an index of its adaption to climate change. Journal of Agriculture, Biotechnology & Ecology, v. 7, n. 1, p. 50-58. 2014. http://dx.doi.org/10.5539/sar.v3n1p95.

Olsen, M. E. & Fahey, J. W. Moringa oleifera: un árbol multiuso para las zonas tropicales secas. Revisa Mexicana de Biodiversidad, v. 82, n. 4, p. 1071-1082, 2011.

Papoola, J. O. et al. Phenotypic intraespecif variability among some accessions of drumstick (Moringa oleifera Lam.). Canadian Journal of Pure and Applied Sciences, v. 10, n. 1, p. 3681-3693, 2016.

Prado, A. K. S.et al. Florescimento e frutificação em laranjeiras ‘Valência’ com diferentes cargas de frutos e submetidas ou não à irrigação. Bragantia, v. 66, n. 2, p. 173-182, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87052007000200001.

Prado, D. E. As caatingas da América do Sul. In: Leal, I. R. et al. (Ed.). Ecologia e conservação da Caatinga. Recife: Ed. da UFPE, 2003, p. 3-74.

Rabbani, A. R. C. et al. Restrição hídrica em sementes de moringa (Moringa oleífera L.). Revista Científica UDO Agrícola, v. 12, n. 3, p. 563-569, 2012.

Ramos, L. M. et al. Morfologia de frutos e sementes e morfofunção de plântulas de Moringa (Moringa oleífera Lam.). Comunicata Scientiae, v. 1, n. 2, p. 156-160, 2010.

Rivas, R. et al. Three cycles of water déficit from seed to Young plant of Moringa oleifera woody species improves stress tolerance. Plant Physiology and Biochemistry, v. 1, n. 63, p. 200-208, 2013.

Santos, F. S. et al. Biometria e qualidade fisiológica de sementes de diferentes matrizes de Tabebuia chrysotricha (Marth. Ex A. DC.) Standl. Scientia Florestalis, v. 37, n. 82, p. 163-173, 2009.

Silva, D. M. et al. Eficiência fotoquímica em folhas do mamoeiro (Carica papaya L.) Cv. Golden durante o estádio reprodutivo e caracterização da ontogenia dos frutos. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 33, n. 4, p. 1066-1073, 2011. https://doi.org/10.1590/S0100-29452011000400004.

Silva, R. T. et al. Physiological quality of sesame seeds produced from plants subjected to water stress. Revista Ciência Agronômica, v. 47, n. 4, p. 643-648, 2016. https://doi.org/10.5935/1806-6690.20160077.

Zuffo, A. M. et al. Caracterização biométrica de frutos e sementes de baru (Dipteryx alataVog.) na região leste de Mato Grosso, Brasil. Revista de Ciências Agrárias, v. 37, n. 4, p. 463-471, 2014.




DOI: https://doi.org/10.4336/2020.pfb.40e201801745



Direitos autorais 2020

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional