Associação de Resinose com Distúrbio Fisiológico em Pinus taeda

Albino Grigoletti Junior, Celso Garcia Auer

Resumo


Uma exsudação de resina foi constatada em árvores de Pinus taeda, com 30 anos de idade, em Guaragi e Colombo/PR, em 2000. Além da resinose, notouse o declínio e a morte das árvores. Internamente, o lenho tornou-se escurecido pela colonização de Sphaeropsis sapinea. Possivelmente, esta doença foi incitada por algum tipo de distúrbio fisiológico das árvores, abrindo caminho para fungos manchadores.


Palavras-chave


Doença; Pínus; Resina

Texto completo:

PDF

Referências


GUÉRARD, N.; DREYER, E.; LIEUTIER, F. Interactions between scots pine, Ips acuminatus (Gyll.) and Ophiostoma brunneo-ciliatum (Math.): estimation of the critical threshold of attack and inoculation densities and effects on hydraulic properties in the stem. Annales des Sciences Forestieres, Paris, v. 57, p.681-690, 2000.






Direitos autorais 2002

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional