Seleção de Fungicidas para Controle de Oídio em Eucalipto

Rafaela Mazur Bizi, Albino Garcia Grigoletti Júnior, Celso Garcia Auer

Resumo


O objetivo deste estudo foi encontrar fungicidas eficientes contra o oídio do eucalipto. Foram testados os fungicidas chlorothalonil (2 g/l), fenarimol (0,5 ml/l), enxofre (3 g/l), tebuconazole (1 ml/l), propiconazol 12,5% + trifloxistrobina 12,5% (0,6 ml/l), benzothiadiazol (1g/l), piraclostrobina 13,3% + epoxiconazol 5% (1ml/l) e triadimenol (1 ml/l). Os fungicidas foram pulverizados em 30 mudas por tratamento de Eucalyptus benthamii, naturalmente infectadas. A doença foi avaliada aos 9, 16, 23, 30 e 37 dias após serem colocadas em um ambiente infectado, onde os sintomas foram classificados em uma escala de notas que variam de 0 (ausência de sintomas) a 4 (sintoma muito forte). Os melhores tratamentos foram piraclostrobina + epoxiconazol, propiconazol + trifloxistrobina e triadimenol, apresentando um índice médio de infecção de 0,39 e 0,63 e 1,01, respectivamente.  

Palavras-chave


controle químico, doença, Eucalyptus benthamii. 1

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2011

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional