Determinação do comprimento ótimo de transectos para estimativa de necromassa florestal

Denise Jeton Cardoso, Alexander Christian Vibrans, Alba Valéria Rezende, Frans Germain Corneel Pareyn, Joberto Veloso Freitas, Maria Augusta Doetzer Rosot, Yeda Maria Malheiros de Oliveira

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar diferentes comprimentos de transecto para determinação da necromassa florestal caída sobre o chão. Os dados são provenientes de transectos de 10 metros, medidos durante o teste de metodologia do Inventário Florestal Nacional na Amazônia, Cerrado e Caatinga, e no inventário em Santa Catarina, representando Floresta Ombrófila Mista e Floresta Estacional Decidual. O comparativo do coeficiente de variação, para transectos de 10 a 150 m indica que as maiores alterações desse estimador ocorrem no intervalo de 10 até 50 m, estabilizando-se a partir deste comprimento. A adoção de transectos de 10 m nas tipologias avaliadas é recomendável, pois com este comprimento ocorre uma redução de 35% na distância total de caminhamento em relação aos transectos de 20 m, para obter o mesmo erro amostral.

Palavras-chave


Biomassa caída; Médodo do intercepto; Amostragem

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2013.pfb.33.75.391



Direitos autorais 2013

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional