Cancro em mogno africano no estado do Pará

Célia Regina Tremacoldi, Alexandre Mehl Lunz, Iwanne Lima Coelho, Alessandra de Jesus Boari

Resumo


Sintomas de cancro foram observados em plantios de mogno africano, no município de Dom Eliseu, Pará. Os fungos associados aos tecidos sintomáticos foram identificados como Lasiodiplodia theobromae e Fusarium subglutinans. Culturas puras desses fungos foram testadas quanto à patogenicidade em mudas de mogno africano sadias. Apenas L. theobromae produziu cancro, por meio de inoculação por ferimento e alta umidade. A confirmação de L. theobromae como agente causal do cancro ocorreu após o reisolamento do fungo a partir das plantas inoculadas em casa de vegetação, concluindo a primeira verificação do postulado de Koch para esse patossistema.

Palavras-chave


Meliaceae; Inoculação; Lasiodiplodia theobromae; Khaya ivorensis

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2013.pfb.33.74.415



Direitos autorais 2013

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional