Métodos de estimativa de volume comercial para Eucalyptus grandis: especificidades e recomendações

Thomas Schröder, Noé Ananias dos Santos Hofiço, Anna Paula Lora Zimmermann, Lílian Daniel Pereira, Dilson Sousa Rocha Junior, Evandro Alcir Meyer, Frederico Dimas Fleig

Resumo


Existem basicamente três métodos de estimativa de volume comercial de árvores individuais: uso do fator de forma, modelos de volume e funções de afilamento, os quais apresentam resultados diferentes quanto à precisão de variáveis e devem ser utilizados adequadamente para diferentes finalidades. A comparação entre estes três métodos foi o objetivo desta pesquisa e, para tanto, foram medidas árvores de Eucalyptus grandis provenientes de primeiro desbaste. A utilização de equação de dupla entrada foi o método mais eficiente para a determinação do volume. O uso do fator de forma se mostrou restrito e as funções de afilamento foram eficientes para elaboração de tabelas de sortimento.


Palavras-chave


Volumetria; Fator de forma; Modelos de volume; Funções de afilamento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2013.pfb.33.73.446



Direitos autorais 2013

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional