Poda da parte aérea, visando melhor qualidade de mudas de Pinus taeda, em Caçador, SC

Autores

  • Saulo Jorge Téo Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Alan Marcon Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Reinaldo Hoinacki da Costa Juliana Florestal Ltda.

DOI:

https://doi.org/10.4336/2014.pfb.34.77.468

Palavras-chave:

Intensidade de poda, Relação h/d, Mortalidade

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi avaliar os efeitos da poda da parte aérea sobre a sobrevivência, altura (h), diâmetro de colo (dc) e relação h/dc, de mudas de Pinus taeda L., no Município de Caçador, SC, visando obter mudas de melhor qualidade. Foram testados seis diferentes tipos e intensidades de podas. Os dados foram submetidos ao teste de homogeneidade das variâncias (Teste de Bartlett), à análise de variâncias (ANOVA) e ao teste de comparação de médias de Tukey (α = 5%). Aos 60 dias após a instalação do experimento, não houve mortalidade de mudas. A retirada da porção apical das mudas resultou em formação de brotações laterais, diminuição significativa das alturas e da relação h/dc das mudas, melhorando o padrão de qualidade das mudas. Por outro lado, a retirada das acículas na porção inferior das mudas causou aumento significativo das alturas, mas não afetou a relação h/dc. Nenhum dos tratamentos resultou em aumento significativo do diâmetro de colo. Entretanto, a poda mais severa da parte aérea (corte da porção apical + remoção de 2/3 das acículas) causou redução significativa do diâmetro de colo e, consequentemente, da qualidade das mudas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Saulo Jorge Téo, Universidade do Oeste de Santa Catarina

http://lattes.cnpq.br/7406585450753380

Alan Marcon, Universidade do Oeste de Santa Catarina

http://lattes.cnpq.br/6340300368787535

Downloads

Publicado

2014-04-04

Como Citar

TÉO, S. J.; MARCON, A.; DA COSTA, R. H. Poda da parte aérea, visando melhor qualidade de mudas de Pinus taeda, em Caçador, SC. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 34, n. 77, p. 57-62, 2014. DOI: 10.4336/2014.pfb.34.77.468. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/468. Acesso em: 21 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos