Avaliação preliminar da embebição de sementes de jacarandá-da-bahia

Glauciana da Mata Ataíde, Eduardo Euclydes de Lima Borges, Andressa Vasconcelos Flores, Renato Vinicius Oliveira Castro

Resumo


A atividade fisiológica das sementes inicia-se pela absorção de água, da qual resulta na reidratação dos tecidos e desencadeamento dos eventos metabólicos da germinação. Neste contexto, o presente estudo teve como objetivo verificar a influência da qualidade fisiológica e da umidade inicial nas taxas de absorção de água de sementes de jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra). Foram utilizadas sementes colhidas em matrizes de duas procedências, as quais constituíram os lotes I e II. Estas foram colocadas para hidratar em água, em dessecadores com umidades relativas entre 95-99%, nas temperaturas de 15 oC e 25 oC, até atingirem aproximadamente quatro níveis de hidratação: 10%, 15%, 20% e 25% de umidade nas sementes. Os lotes foram avaliados quanto à germinação, índice de velocidade de germinação e tempo médio de germinação. Em seguida, foram avaliadas as alterações na absorção de água pelas sementes dos dois lotes após chegarem aos níveis de hidratação desejados, sendo analisadas as curvas de embebição. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado. Os lotes I e II foram classificados como de alto e baixo vigor, respectivamente. Os resultados indicaram que a taxa de embebição das sementes variou com o teor de umidade inicial, porém a diferenciação entre as curvas inicia-se na fase II do processo de absorção de água. Sementes de Dalbergia nigra de qualidade fisiológica inferior necessitam de maiores períodos de embebição para atingirem a fase III e completarem o processo de germinação.

Palavras-chave


Germinação; Vigor; Dalbergia nigra; Sementes florestais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2014.pfb.34.78.520



Direitos autorais 2014

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional