Avaliação da Qualidade Fisiológica de Sementes de Imbuia pelo Teste do Tetrazólio

Antonio Nascim Kalil Filho, Alexandre Jacobus Lopes, Gizelda Maia Rêgo, Adilson Tomachitz

Resumo


A propagação vegetativa da imbuia (Ocotea porosa) é desconhecida e a germinação de suas sementes
é lenta, justificando o teste do tetrazólio, método mais rápido para verificação da viabilidade de sementes.
Sementes oriundas de árvores nativas da região de Colombo, PR, foram tratadas com solução de tetrazólio a 0,1 %,
0,3 % e 0,5 % por 1 e 2 horas, apresentando variação percentual em viabilidade associada aos diferentes
tratamentos. Não constatou-se diferenças estatisticamente significativas entre tratamentos. O percentual de
sementes viáveis variou de 50 % a 85 %. Diante dos resultados obtidos, sugere-se a concentração de 0,5 % por
uma hora como o tratamento mínimo para verificação da viabilidade das sementes de imbuia.

Palavras-chave


Ocotea porosa; espécie florestal; viabilidade

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2010

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional