Posição de semeadura na emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de baru

Alan Mario Zuffo, Ana Paula Sousa Jesus, Saulo Gabriel de Faria Dias

Resumo


Objetivou-se com este trabalho avaliar a influência da posição de sementes do baru, na emergência e no desenvolvimento inicial de plântulas. O ensaio foi realizado em casa de vegetação em delineamento experimental de blocos ao acaso, com cinco tratamentos (posição de semeio), com quatro repetições. As posições foram: A - hilo para cima, B - hilo para baixo, C – hilo e rafe de lado, D – rafe na horizontal para cima, E - rafe na horizontal para baixo. Foram avaliados a emergência, o índice de velocidade de emergência, a altura de plântulas (AP), o diâmetro do coleto (DC), o comprimento radicular, a fitomassa seca da parte aérea (FSPA), a fitomassa seca radicular (FSR), as relações AP/DC e FSPA/FSR e o índice de qualidade de Dickson. A emergência e o desenvolvimento inicial das plântulas de baru foram influenciados pela posição de semeadura. As sementes depositadas com o hilo para baixo proporcionaram melhores resultados.


Palavras-chave


Dipteryx alata vog; Emergência; Sementes; Fruto do Cerrado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2014.pfb.34.79.650



Direitos autorais 2014

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional