Compostos químicos em teca

Fernanda Viana da Silva Leonardo, Henrique Figueiredo Rocha, Zaira Morais dos Santos Hurtado de Mendoza

Resumo


Os compostos quinônicos, em sua grande parte, são gerados na fração extrativos das madeiras, em um sistema biológico complexo e variável. Por não fazerem parte da parede celular, eles recebem o nome de compostos secundários. Na literatura tem indicações de uso em diversos segmentos, que vão desde a indústria alimentícia até a indústria farmacêutica. Dentro da área de utilização industrial da madeira, eles são pouco desejáveis, visto que são tratados apenas como substâncias acidentais nas cadeias produtoras de celulose, papel, carvão vegetal e serraria. Apesar de sua pouca quantidade em relação aos outros compostos químicos chamados de fundamentais, essas substâncias vem recebendo atenção especial dos pesquisadores, revelando uma gama diversificada de ofertas para o mercado de produtos têxteis, fármacos, corantes, polímeros e outros compostos. As quinonas são encontradas em fungos, liquens e, em sua grande maioria, nos vegetais superiores. A Tectona grandis, vulgarmente conhecida como teca, é capaz de biossintetizar antraquinonas, composto quinônico, que lhe confere resistência natural. Esta espécie fornece madeira bastante valorizada no setor moveleiro, podendo também ser explorado os seus metabólitos, tanto para suprir o mercado em compostos quinônicos de uso comercial como para desenvolvimento de novas tecnologias, agregando valor aos plantios dessa espécie dentro do nosso País.


Palavras-chave


Produtos florestais; Madeira; Tecnologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2015.pfb.35.83.816



Direitos autorais 2015

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional