Produtividade de clones de eucaliptos em diferentes sistemas de manejo para fins energéticos

Fernando Henrique de Lima Gadelha, José Antônio Aleixo da Silva, Rinaldo Luiz Caraciolo Ferreira, Rubeni Cunha dos Santos, José Alves Tavares

Resumo


 A região do polo gesseiro do Araripe, em Pernambuco, é a maior produtora de gesso do Brasil, e tem como principal fonte energética para produção de gesso a lenha proveniente da Caatinga, que por sua vez não oferece material lenhoso suficiente para atender à demanda energética da indústria do gesso, resultando em desmatamentos que comprometem a sustentabilidade da região. Uma opção para atender essa demanda é a implantação de florestas de rápido crescimento. Objetivou-se com este trabalho avaliar o desenvolvimento volumétrico de três clones de Eucalyptus spp. conduzidos sob os sistemas de manejo de alto fuste e de talhadia, plantados no espaçamento 3m x 2 m. O experimento foi implantado na Estação Experimental do Instituto Agronômico de Pernambuco, em Araripina, PE. Foram mensuradas altura e circunferência a 1,30 m do solo de todas as árvores a cada seis meses nas idades de 24 a 42 meses, e os volumes foram calculados considerando-se um fator de forma de 0,51. Os dados foram avaliados por análises multivariadas de medidas repetidas. O clone C39 (híbrido de E. urophylla, cruzamento natural) foi o mais produtivo nos dois sistemas de manejo.


Palavras-chave


Pólo Gesseiro do Araripe; Eucalyptus; Floresta energética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4336/2015.pfb.35.83.827



Direitos autorais 2015

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional