Viabilidade econômica do componente arbóreo de sistema agrossilvipastoril comparado ao de plantio florestal na pequena propriedade rural

Caroline Weimann, Jorge Antonio de Farias, Gilmar Deponti

Resumo


O presente trabalho objetivou comparar a viabilidade econômica do componente florestal na pequena propriedade rural, como sistema agrossilvipastoril ou como plantio convencional, no Município de Esperança do Sul, RS. O sistema agrossilvipastoril foi implantado com eucalipto, e o plantio florestal com eucalipto e acácia-negra. Foram utilizados apenas os dados do componente florestal, sendo obtidos por inventário florestal. Os indicadores selecionados para a análise econômico-financeira foram: valor presente líquido (VPL), valor anual equivalente (VAE), taxa interna de retorno (TIR), razão benefício/custo (B/C) e custo médio de produção (CMPr). A taxa de desconto utilizada foi de 7,5% ano-1. Os dois sistemas de produção foram considerados economicamente viáveis para a rotação de 10 e 15 anos, sendo que a rotação mais longa apresentou maior retorno financeiro. O sistema agrossilvipastoril foi considerado viável, mantendo-se positivo mesmo com taxas de juros mais elevadas. Apesar de o plantio florestal apresentar maior retorno econômico, o sistema agrossilvipastoril apresentou mais vantagens ambientais.

Palavras-chave


Cultivo contínuo; Custo de produção; Avaliação econômica

Texto completo:

PDF

Referências


Abdo, M. T. V. N. et al. Sistemas agroflorestais e agricultura familiar: uma parceria interessante. Revista Tecnologia & Inovação Agropecuária, p. 50-59, dez. 2008.

Arco-Verde, M. F. Sustentabilidade biofísica e socioeconômica de sistemas agroflorestais na Amazônia Brasileira. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Programa ABC. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2015.

Bentes-Gama, M. M. et al. Análise econômica de sistemas agroflorestais na Amazônia Ocidental, Machadinho d’Oeste - RO. Revista Árvore, v. 29, n. 3, p. 401-411, 2005.

Botero, J. A. Contribuição dos sistemas pecuários tropicais na captação de carbono. In: Carvalho, M. M. et al. (Ed.). Sistemas

agroflorestais pecuários: opções de sustentabilidade para áreas

tropicais e subtropicais. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite;

Brasília: FAO, 2001. p. 399-413.

Ferraz, J. M. G. As dimensões da sustentabilidade e seus indicadores. In: Marques, J. F. et al. (Ed.). Indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2003. 281 p. Parte I, cap.1, p. 15-35.

Liberali, L. Sistemas agroflorestais: alternativa de renda para agricultura familiar do Município de Corumbataí do Sul – Paraná. Revista Geomae, v. 4, n. 1, p. 58-69, 2013.

Loetsch, F. et al. Forest inventory. 2. ed. Munich: BLV Verlagsgesellschaft, 1973. v. 2. 469 p.

Moreira, F. G. & Binotto, E. A diversificação de culturas agronômicas como forma sustentável na agricultura familiar: uma análise para o estado/MS. Revista Verde, v. 9, n. 5, p. 68-75, 2014.

Moreno, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 42 p.

Nicodemo, M. L. F. Growth of nativa trees in two agroforestry systems. Revista Árvore, v. 40, n. 4, p. 639-648, 2016. DOI: 10.1590/0100-67622016000400007.

Radomski, M. I. & Ribaski, J. Sistemas silvipastoris: aspectos da pesquisa com eucalipto e grevílea nas regiões sul e sudeste do Brasil. Colombo: Embrapa Florestas, 2009. (Embrapa Florestas. Documentos, 191).

Rezende, J. L. P. & Oliveira, A. D. Análise econômica e social de projetos florestais. 2. ed. Viçosa: Ed da UFV, 2008. 386 p.

Roberto, J. V. B. & Souza, B. B. Fatores ambientais, nutricionais e de manejo e índices de conforto térmico na produção de ruminantes no semiárido. Revista Verde, v. 6, n. 2, p. 8-13, 2011.

Santos, M. J. C. & Paiva, S. N. Os sistemas agroflorestais como alternativa econômica em pequenas propriedades rurais: estudo de caso. Ciência Florestal, v. 12, n. 1, p. 135-141, 2002.

Silva, D. P. SAFs: sistemas alternativos de produção. Revista de Extensão e Estudos Rurais, v. 2, n. 1, p. 153-162, 2013.

Silva, F. C. L. da & Farias, J. A. de. Análise econômica da produção de Acacia mearnsii De Wild e carvão vegetal no Vale do Caí e Taquari, Rio Grande do Sul. Ciência Rural, v. 45, n. 5, p. 927-932, 2015. DOI: 10.1590/0103-8478cr20140114.

Streck, E. V. et al. Solos do Rio Grande do Sul. 2. ed. Porto Alegre: EMATER/RS, 2008. p. 38-54.

Thevathasan, N. Sustainability indicators of biomass production in agroforestry systems. The Open Agriculture Journal, v. 8, p. 1-11, 2014.




DOI: https://doi.org/10.4336/2017.pfb.37.92.1147



Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional