Estádio inicial da regeneração natural de espécies arbóreas em área alterada no Estado do Amazonas

Wanda Lemos Paixão Nogueira, Marciel José Ferreira, Narrúbia Oliveira de Almeida Martins

Resumo


O melhor entendimento da composição florística e estrutura da regeneração natural, em diferentes tipos de distúrbio, é fundamental para identificar o grau de recuperação da área e possíveis intervenções silviculturais a serem eventualmente adotadas para acelerar o processo de sucessão florestal. O presente estudo objetivou caracterizar a regeneração natural de 0,4 ha em processo de recuperação natural na Fazenda Experimental da Universidade Federal do Amazonas na expectativa de identificar o potencial da condução da regeneração para a recuperação da área. Foram estabelecidas cinco parcelas de 15 m x 9 m e amostradas as plântulas e os indivíduos arbóreos jovens com altura superior a 10 cm. Foram registrados 148 indivíduos pertencentes a oito famílias botânicas, nove gêneros e 13 espécies arbóreas. Após 14 meses sem interferências, a área foi dominada por espécies do gênero Vismia, as quais se destacaram em grande parte nos parâmetros estruturais (densidade, dominância, frequência, valores de importância e cobertura). O sítio estudado possui regeneração natural com baixa diversidade florística, dominada por indivíduos de espécies predominantemente pioneiras, que pode estar associado ao uso anterior com cultivo agrícola, ao pequeno intervalo de tempo sem interfência e à forte competição com espécies de plantas daninhas.

Palavras-chave


Sucessão secundária; Composição florística; Espécies pioneiras

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, J. C. Z. O. & Miranda, I. S. Análise da estrutura de comunidades arbóreas de uma floresta amazônica de Terra Firme aplicada ao manejo florestal. Acta Amazonica, v. 38, n. 4, p. 657-666, 2008. DOI: 10.1590/S0044-59672008000400008.

Araujo, R. A. et al. Florística e estrutura de fragmento florestal em área de transição na Amazônia Matogrossense no município de Sinop. Acta Amazonica, v. 39, n. 4, p. 865-877, 2009. DOI: 10.1590/S0044-59672009000400015.

Carvalho, J. et al. Regeneração natural em povoamentos de Araucaria angustifolia e Pinus sp. em Tunas do Paraná, PR. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 36, n. 85, p. 9-16, 2016. DOI: 10.4336/2016.pfb.36.85.892.

Chauvel, A. Os latossolos amarelos, álicos, argilosos dentro dos ecossistemas das bacias experimentais do INPA e da região vizinha. Acta Amazonica, v. 12, n. 3, p. 47-60, 1982. DOI: 10.1590/1809-43921982123S047.

Chazdon, R. Regeneração de florestas tropicais. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi Ciencias Naturais, v. 7, n. 3, p. 195-218, 2012.

Do Vale, I. et al. Espécies indicadas para a recomposição da floresta ciliar da sub-bacia do rio Peixe-boi, Pará. Ciência Florestal, v. 24, n. 3, p. 573-582, 2014. DOI: 10.1590/1980-509820142403006.

Fonseca, A. et al. Boletim do desmatamento da Amazônia Legal (janeiro de 2015) SAD. Belém: Imazon. 2015. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2015.

Freitas, W. K. & Magalhães, L. M. S. Métodos e parâmetros para estudo da vegetação com ênfase no estrato arbóreo. Revista Floresta e Ambiente, v.19, n. 4, p. 520-540, 2012. DOI: 10.4322/FLORAM.2012.054.

Godar, J. et al. Actor-specific contributions to the deforestation slowdown in the Brazilian Amazon. Proceedings of the National Academy of Science of the USA, v. 43, p.15.591–15.596, 2014. DOI:10.1073/PNAS.1322825111.

Holl, K. D. & Aide, T. M. When and where to actively restore ecosystems? Forest Ecology and Management, v. 261 p. 1558 - 1563, 2011. DOI:10.1016/J.FORECO.2010.07.004DOI:10.1016/J.FORECO.2010.07.004.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Projeto Terraclass – Mapeamento da vegetação secundária para a Amazônia Legal; 2016. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/152807/1/TerraClass.pdf

Jakovac, A. C. C. et al. Age and light effects on seedling growth in two alternative secondary successions in central Amazonia. Plant Ecology & Diversity, v.7, p. 349-358. 2012. DOI:10.1080/17550874.2012.716088.

Klippel, V. H. et al.de restauração florestal de Mata de Tabuleiros-ES. Revista Árvore, v. 39, n.1, p.69-79, 2015. DOI: 10.1590/0100-67622015000100007.

Lamb, D. et al. Restoration of degraded tropical forest landscapes. Science, v. 310 n. 5754, p. 1628-1632, 2005. DOI: 10.1126/SCIENCE.1111773.

Lawrence, D. & Vandecar, K. Effects of tropical deforestation on climate and agriculture. Nature Climate Change, v. 5, p. 27-36, 2015. DOI:10.1038/NCLIMATE2430.

Lima, R. B. A et al. Fitossociologia de um trecho de floresta ombrófila densa na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Uacari, Carauari, Amazonas, Scientia Plena, v. 8, n. 1, p.1-12, 2012. DOI:10.5039/AGRARIA.V7I3A934.

Longworth, J. B. et al. Shifts in Dominance and Species Assemblages over Two Decades in Alternative Successions in Central Amazonia. Biotropica, v. 46, n. 5, p. 529–537, 2014. DOI:10.1111/BTP.12143.

Massoca, P. E. S. et al. Dinâmica e trajetórias da sucessão secundária na Amazônia central. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Naturais, v. 7, n. 3, p. 235-250, 2012.

Pereira, I. M. et al. Estrutura fitossociológica da regeneração natural de uma área de cerrado no município de Curvelo, MG. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, v. 10, n. 18, p. 1619-1636, 2014.

Pereira, I. M. et al. Regeneração natural em um remanescente de caatinga sob diferentes níveis de perturbação, no agreste paraibano. Acta Botânica Brasílica, v. 15, n. 3, p. 431-426, 2001. DOI: 10.1590/S0102-33062001000300010.

Pinto, L. V. A. et al. Caracterização física da bacia hidrográfica do ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG e uso conflitante da terra em suas áreas de preservação permanente. Cerne, v. 11, n. 1, p. 49-60, 2005.

Ribeiro, J. E. L. S. et al. Flora da Reserva Ducke: guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra-firme na Amazônia Central. Manaus: INPA, 1999. 816 p.

Shono, K. et al. Application of assisted natural regeneration to restore degraded Tropical Forestlands. Restoration Ecology, Tucson, v. 15, n. 4, p.620-626. 2007. DOI: 10.1111/J.1526-100X.2007.00274.X.

Silva, C. E. M. et al. Photosynthetic traits and water use of tree species growing on abandoned pasture in different periods of precipitation in Amazonia. Photosynthetica, v. 49, n. 2, p. 246-252, 2011. DOI: 10.1007/S11099-011-0033-Z.

Silva, C. E. M. et al. Water-use efficiency of tree species following calcium and phosphorus application on an abandoned pasture, Central Amazonia, Brazil. Environmental and Experimental Botany, v. 64, n. 2, p.189-195, 2008. DOI: 10.1016/J.ENVEXPBOT.2008.03.001.

Silva, R. G. et al. Avaliação do processo de restauração de área de preservação permanente degradada no sul de Minas Gerais. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 9, n. 1, p. 147-162, 2016. DOI: 10.17765/2176-9168.2016V9N1P147-162.

Silva, W. C. et al. Estudo da regeneração natural de espécies arbóreas em fragmento Floresta Ombrófila Densa, Mata das Galinhas, no Município de Catende, Zona da Mata Sul de Pernambuco. Ciência Florestal, v. 17, n. 4, p. 321-331, 2007. DOI: 10.5902/198050981964.

Souza, C. R. de et al. Comportamento de espécies florestais em plantios a pleno sol e em faixas de enriquecimento de capoeira na Amazônia. Acta Amazonica, v. 40, n. 1, p. 27-134, 2010. DOI: 10.1590/S0044-59672010000100016.

Souza, L. M. et al. Potencial da regeneração natural como método de restauração do entorno de nascente perturbada. Cerne, v. 18, n. 4, p. 128-138, 2012. DOI: 10.1590/S0104-77602012000400006.

Venturoli, F. et al. Avaliação temporal da regeneração natural em uma floresta estacional semidecídua secundária, em Pirenópolis, Goiás. Revista Árvore, v. 35, v. 3, p. 473-483, 2011. DOI: 10.1590/S0100-67622011000300010.

Williamson, G. B. Convergence and divergence in alternative successional pathways in Central Amazonia. Plant Ecology & Diversity, n. 7, v. 1, p. 341-348, 2014. DOI:10.1080/ 17550874.2012.735714.

Zermeño-Hernández, I. et al. Ecological disturbance regimes caused by agricultural land uses and their effects on tropical forest regeneration. Applied Vegetation Science, n. 18, v. 3, p. 443-455, 2015. DOI: 10.1111/AVSC.12161.




DOI: https://doi.org/10.4336/2018.pfb.38e201601265



Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional