Fenologia reprodutiva da Araucaria angustifolia no Brasil

Valderês Aparecida de Sousa, Hans H. Hattemer

Resumo


O estudo da fenologia reprodutiva indica a proporção de indivíduos que contribuem efetivamente na reprodução, além de oferecer informações básicas para a conservação e melhoramento genéticos florestais. Informações sobre a biologia reprodutiva da araucária (Araucaria angustifolia Bert. (O. Ktze.)) são necessárias para elucidar o comportamento reprodutivo em diferentes regiões de ocorrência da espécie. Este trabalho teve por objetivo efetuar observações em teste de procedência de araucária em Colombo-PR no período entre 14 e 16 anos de idade. Os resultados confirmaram que seu ciclo reprodutivo é relativamente longo. Os estágios mais críticos, incluindo a liberação de pólen e a polinização, ocorrem entre setembro e dezembro e os menos críticos entre maio e julho, coincidindo com as temperaturas amenas. A polinização ocorreu durante um curto período de tempo, que variou significativamente entre árvores de ano para ano. A proporção de árvores reprodutivas foi baixa, implicando na redução do tamanho efetivo da população. Mesmo sendo o plantio relativamente jovem, diferenças notórias foram observadas na produção de sementes entre procedências. Recomendam-se observações adicionais em idades mais avançadas para que se possa tirar conclusões definitivas sobre a produção de sementes em árvores de diferentes procedências e a proporção de sexo na população.


Palavras-chave


Dioicia; Pinheiro-do-paraná; Conservação; Melhoramento genético florestal

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Colombo: EMBRAPA-CNPF; Brasília: EMBRAPA-SPI, 1994. 639 p.

DOUST, J. L.; DOUST, L. L. Sociobiology of plants: an emerging synthesis. In: DOUST, J. L.; DOUST, L. L. Plant reproductive ecology. New York: Oxford University Press, 1988. p. 5-29.

HILTON, G. M.; PACKHAM, J. R. A sixteen-year record of regional and temporal variation in the fruiting of beech (Fagus sylvatica L.) in England (1980-1995). Forestry Oxford, v. 70, p. 7-16, 1997.

MATZIRIS, D. Genetic variation in cone and seed characteristics in a clonal seed orchard of Aleppo pine grown in Greece. Silvae Genetica, v. 47, p. 37-41, 1998.

NTIMA, O. O. (Comp.). The araucarias. Oxford: Commonwealth Forestry Institute, 1968. 139 p. (Fast Growing Timber Trees of the Lowland tropics, 3).

NYGREN, M. Seed production variation of Scots pine and Norway spruce. Silva Fennica,

v. 24, p. 77-81, 1990.

PINTO, S. A. A. Influência da dioicia no diâmetro e na altura de Araucaria angustifolia (Bert.) O. KTZE. e suas implicações na formação de áreas de produção de sementes na região de Quedas do Iguaçu - Estado do Paraná. Silvicultura, v. 7, n. 23, p. 44, 1982.

SOLÓRZANO FILHO, J. A. Demografia, fenologia e ecologia da dispersão de sementes de Araucaria angustifolia (Bert.) Kuntze (Araucariaceae), numa população relictual em Campos do Jordão, SP. São Paulo: USP, 2001. 155 p. Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto de Biociências da USP, São Paulo.

SHIMOYA, C. Contribuição ao estudo do ciclo biológico de Araucaria angustifolia (Bertolini) O. KTZE. Experientiae , v. 2, p. 520- 540, 1962.






Direitos autorais 2003

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional