Microondas como alternativa na abertura de amostras para dosagem de silício em tecido foliar de espécies florestais por determinação colorimétrica

Claudia Mara Pereira, Fabrício Augusto Hansel, Maria Izabel Radomski, Maisa Gottardo Verdeckin

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a viabilidade do uso de digestão em microondas na determinação
colorimétrica de silício em amostras de tecido vegetal de espécies florestais. Nos testes realizados, o coeficiente
de correlação (r) foi de 0,998 para a faixa de concentração de 0,4 até 7 mg.g-1. As recuperações realizadas, a partir
de testes de fortificação em celulose, foram superiores a 90 % para duas concentrações testadas (2 e 4 mg.g-1), so
coeficiente de variação foi igual a 4,2 % e 7,0 % para a espinheira santa (Maytenus ilicifolia) e eucalipto
(Eucalyptus benthamii), respectivamente. A digestão por microondas foi comparada com a digestão por autoclave
em teste interlaboratorial, sendo que os erros relativos apresentaram-se menores que 17 % para todas as amostras
testadas. Considerando os resultados obtidos, a abertura das amostras de tecido foliar de espécies florestais em
microondas apresenta-se como uma alternativa, dentro dos limites testados, na dosagem de silício pelo método
colorimétrico, com leitura realizada no comprimento de onda de 410 nm.

Palavras-chave


Folhas; digestão; colorimetria; Eucalyptus benthamii; Maytenus ilicifolia; silício

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2010

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional