Crescimento e qualidade energética da madeira de Tachigali vulgaris sob diferentes espaçamentos

Helio Tonini, Dalton Roberto Schwengber, Marina Moura Morales, Jane Maria Franco de Oliveira

Resumo


O objetivo desse trabalho foi avaliar a influência de diferentes espaçamentos de plantio sobre o crescimento, a produção, a alocação da biomassa e a qualidade energética da madeira do tachi-branco. O experimento foi instalado em área de transição floresta/savana no estado de Roraima em delineamento experimental de blocos ao acaso, com três repetições e cinco tratamentos, que consistiram dos espaçamentos 2 m x 2 m; 2,5 m x 2,5 m; 3 m x 2,0 m; 3 m x 2,5 m; e 3 m x 3 m. Aos 70 meses foram avaliados o desempenho e a qualidade energética da madeira. O espaçamento de plantio influenciou o crescimento diamétrico, a produção volumétrica e a biomassa individual produzida no tronco, e não teve efeito sobre as propriedades energéticas da madeira. O maior espaçamento (3 m x 3 m) mostrou-se vantajoso devido à maior biomassa acumulada no tronco e ao menor número de árvores plantadas. Porém, no sitio estudado, a baixa produtividade restringe o plantio da espécie em monocultivos com finalidade energética.


Palavras-chave


Amazônia; Plantação Florestal; Espécies Nativas

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR8112: carvão vegetal: análise imediata. Rio de Janeiro, 1983.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR8633: carvão vegetal: determinação do poder calorífico. Rio de Janeiro, 1984.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR11941-02: determinação da densidade básica em madeira. Rio de Janeiro, 2003.

Barbosa, R. I. Distribuição das chuvas em Roraima. In: Barbosa, R. I. et al. (Ed.). Homem, ambiente e ecologia no estado de Roraima. Manaus: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, 1997. p. 325-334.

Bhering, L. L. Rbio: a tool for biometric and statistical analysis using the R platform. Crop Breeding and Applied Biotechnology, v. 17, p. 197-190, 2017. DOI: 10.1590/1984-70332017v17n2s29.

Brienza Junior, S. et al. Plantio de árvores de crescimento rápido para a recuperação de área agrícolas na Amazônia Oriental Brasileira: estudo de caso com a produção de milho e mandioca. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 31, n. 68, p. 347-353, 2011. DOI: 10.4336/2011.pfb.31.68.347.

Carvalho, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 627 p.

Castro, A. W. V. et al. Efeito do espaçamento na produtividade de biomassa de tachi-branco (Sclerolobium paniculatum, Vogel). Acta Amazonica, v. 82, n. 2, p. 141-146, 1998.

Eloy, E. et al. Produtividade energética de espécies florestais em plantios de curta rotação. Ciência Florestal, v. 45, n. 8, p. 1424-1431, 2015. DOI: 10.1590/0103-8478cr20130177.

Empresa de Pesquisa Energética (Brasil). Balanço energético nacional: 2017: ano base 2016. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2018.

Erskine, P. D. et al. Growth performance and management of a mixed rainforest tree plantation. New Forests, v. 9, p. 117-234, 2005. DOI: 10.1007/s11056-005-0250-z.

Farias, J. et al. Survival and growth of native Tachigali vulgaris and exotic Eucaliptus urophylla x Eucalyptus grandis trees in degrated soils with biochar amendment in southern Amazônia. Forest Ecology and Management, v. 368, p. 173-182, 2016.

Feldpausch, T. R. et al. Tree height integrated into pantropical forest biomass estimates. Biogeosciences, v. 9, p. 3381–3403, 2012. DOI: 10.5194/bg-9-3381-2012.

Indústria Brasileira de Árvores. IBÁ: Indústria Brasileira de Árvores. Brasília, DF, 2017. Relatório 2017. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2018.

Instituto Nacional de Meteorologia. Banco de dados meteorológicos para o ensino e a pesquisa. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2017.

Lima, R. M. B. Crescimento de Sclerolobium paniculatum Vogel, na Amazônia, em função de fatores de clima e solo. 2004. 212 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Lopes, E. D. Influência do espaçamento de plantio na produção energética de clones de Corymbia e Eucalyptus. Floresta, v. 47, n. 1, p. 95-104, 2017. DOI: 10.5380/rf.v47i1.47141.

Martinoto, F. et al. Sobrevivência e crescimento inicial de espécies nativas do cerrado em consorcio com a mandioca. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 47, n. 1, p. 22-29, 2012.

Martorano, L. G. et al. Zoneamento topoclimático do Taxi-branco (Tachigali vulgaris L.F) na Amazônia Legal: estratégias de planejamento com metas de desenvolvimento sustentável. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2018. 70 p. (Documentos, Embrapa Amazônia Oriental, 435).

Mochiutti, S. et al. Produção de serrapilheira e retorno de nutrientes de um povoamento de tachi-branco e de uma floresta secundária no Amapá. Boletim de Pesquisa Florestal, v. 52, p. 3-20, 2006.

Oliveira, I. R. M. et al. Biomassa e características da madeira de Sclerolobium paniculatum cultivado em diferentes níveis de adubação. Cerne, v. 14, n. 4, p. 351-357, 2008.

Orelhana, B. B. M. A. Quantificação da biomassa e potencial energético de Tachigali vulgaris em áreas plantadas no estado do Amapá. 2015a. 77 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Brasília, Brasília, DF.

Orelhana, J. B. P. Valorização tecnológica da madeira de Tachigali vulgaris proveniente de plantios de dois sítios distintos localizados no estado do Amapá. 2015b. 77 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Brasília, Brasília, DF.

Protásio, T. P. et al. Qualidade da madeira e do carvão vegetal oriundos de floresta plantada em Minas Gerais. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, n. 78, p. 111-123. 2014. DOI: 6/2014.pfb.34.78.657.

Santos, L. C. et al. Propriedades da madeira e estimativas de biomassa, carbono e energia de clones de Eucalyptus plantados em diferentes locais. Revista Árvore, v. 36, n. 5, p. 971-980, 2012. DOI: 10.1590/S0100-67622012000500019.

Silva, A. R. et al. Desempenho do tachi-branco em resposta a adubação combinada de fósforo e potássio em latossolos. Acta Iguazu, v. 5, n. 2, p. 37-48, 2016.

Souza, C. R. Desempenho de espécies florestais de uso múltiplo na Amazônia. Scientia Forestalis, v. 36, n. 77, p. 7-14, 2008.

Tomaselli, I. et al. Caracterização da madeira de tachi-branco da terra firme (Sclerolobium paniculatum VOGEL) para energia. Boletim de Pesquisa Florestal, n. 6/7, p. 33-44, 1983.

Thompson, R. M. Estimativas de volume, biomassa e carbono para o carvoeiro (Sclerolobium paniculatum Vog. var subvelutinum Benth). 2009. 64 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Brasília, Brasília, DF.

Tonini, H. et al. Avaliação de espécies florestais em área de mata no estado de Roraima. Cerne, v. 12, n. 1, p. 8-18, 2006.

Vale Junior, J. F & Schaefer, C. E. Solos sob savanas de Roraima: gênese, classificação e relações ambientais. Boa Vista: Gráfica Ioris, 2010. 219 p.




DOI: https://doi.org/10.4336/2018.pfb.38e201801569



Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / EbscoAGRISAgrobase / Binagre , BDPACABI DirectCCNDiadorim , DOAJe.journalsForestry CompendiumGenamics JournalSeekGoogle AcadêmicoJournals for freeLatindexLivreMiarOasisbrPeriodicaPortal da CapesRCAAPRoadSabiiaScilitRedib.

 

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional