Efeito do comprimento do corpo de prova nas propriedades mecânicas do carvão de Eucalyptus

Taís Regina Lima Abreu Veiga, José Tarcísio Lima, Thiago Campos Monteiro, Maria Fernanda Vieira Rocha, Márcia Silva de Jesus, Selma Lopes Goulart

Resumo


As propriedades mecânicas do carvão são indicadoras de qualidade e influenciam no processo siderúrgico. Os ensaios de avaliação (queda e tamboramento), em geral, apresentam resultados variáveis, comprometendo sua confiabilidade. Por isso, é importante desenvolver metodologias que produzam resultados comparáveis. Esse trabalho objetivou analisar a influência do comprimento do corpo de prova na determinação da rigidez e resistência da madeira e do carvão. Foram utilizados clones de Eucalyptus urophylla, dos quais foram produzidos corpos de prova de seção transversal de 25 mm x 25 mm e comprimentos de 50 mm, 75 mm, 100 mm e 125 mm. Dez amostras de cada comprimento foram selecionadas para a realização do ensaio com madeira, e outras dez para os ensaios com carvão. O módulo de elasticidade e a resistência à compressão foram determinados em ensaio de compressão paralela às fibras. Houve efeito significativo do comprimento do corpo de prova sobre a rigidez e resistência da madeira e do carvão, sendo que os melhores resultados foram encontrados para as dimensões 25 mm x 25 mm x 75 mm. Apenas a dimensão de 25 mm x 25 mm x 50 mm se mostrou inadequada, apresentando resultados inferiores aos relatados em literatura.

Palavras-chave


Madeira; Resistência; Qualidade do carvão

Texto completo:

PDF

Referências


American Society for Testing and Materials. D 143-94: standard test methods for small clear specimens of timber. Philadelphia, 2000. 31 p.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7190: projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, 1997. 107 p.

Araujo, J. B. Carvão vegetal para alto-fornos. Rio de Janeiro: Ministério da Agricultura, Departamento Nacional da Produção Mineral, Laboratório da Produção Mineral, 1952. 135 p.

Brito, J. O. Reflexões sobre a qualidade do carvão vegetal para uso siderúrgico. Piracicaba: IPEF, 1993. 6 p. (Circular técnica, 181).

Couto, A. M. et al. Qualidade do carvão vegetal de Eucalyptus e Corymbia produzido em diferentes temperaturas finais de carbonização. Scientia Forestalis, v. 43, n. 108, p. 17-831, 2015. DOI: 10.18671/scifor.v43n108.7.

Cruz, C. R. et al. Variações dentro das árvores e entre clones das propriedades físicas e mecânicas da madeira de híbridos de Eucalyptus. Scientia Forestalis, n. 64, p. 33-47, 2003.

Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais. Uso da madeira para fins energéticos. Belo Horizonte, 1980. 158 p. (Série de publicações técnicas, 001).

Gomes, E. O. & Oliveira, J. B. Teoria da carbonização da madeira. In: Penedo, W. R. (Ed.). Uso da madeira para fins energéticos. Belo Horizonte: CETEC, 1980. v. 1. p. 27-42.

Hein, P. R. G. et al. Estimativa da resistência e da elasticidade à compressão paralela às fibras da madeira de Eucalyptus grandis e E. urophylla usando a espectroscopia no infravermelho próximo. Scientia Forestalis, v. 37, n. 82, p. 119-129, 2009.

Indústria Brasileira de Árvores. IBÁ: Indústria Brasileira de Árvores. Brasília, 2015. 80 p. Relatório Ibá 2015.

Mendes, M. G. et al. Propriedades e controle da qualidade do carvão vegetal. In: Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais. Produção e utilização de carvão vegetal. Belo Horizonte, 1982. p. 77-89.

Moura, M. C. O. Variações em características de crescimento e da madeira em clones de Eucalyptus. 2000. 63 f. Tese (Mestrado em Ciência e Tecnologia da Madeira) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.

Moutinho, V. H. P. Influência da variabilidade dimensional e da densidade da madeira de Eucalyptus sp. e Corymbia sp. na qualidade do carvão. 2013. 164 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Neves, T. A. et al. Avaliação de clones de Eucalyptus em diferentes locais visando à produção de carvão vegetal. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 31, n. 68, p. 319-330, 2011. DOI: 10.4336/2011.pfb.31.68.319.

Protásio, T. P. et al. Mass and energy balance of the carbonization of babassu nutshell as affected by temperature. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 49, n. 3, p. 189-196, 2014a. DOI: 10.1590/S0100-204X2014000300005.

Protásio, T. P. et al. Potencial siderúrgico e energético do carvão vegetal de clones de Eucalyptus spp. aos 42 meses de idade. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 33, n. 74, p. 137-149, 2013. DOI: 10.4336/2013.pfb.33.74.448.

Protásio, T. P. et al. Qualidade da madeira e do carvão vegetal oriundos de floresta plantada em Minas Gerais. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, n. 78, p. 111-123, 2014b. DOI: 10.4336/2014.pfb.34.78.657.

Protásio, T. P. et al. Quality and energetic evaluation of the charcoal made of babassu nut residues used in the steel industry. Ciência e Agrotecnologia, v. 38, n. 5, p. 435-444, 2014c. DOI:10.1590/S1413-70542014000500003.

Reis, A. A. et al. Composição da madeira e do carvão vegetal de Eucalyptus urophylla em diferentes locais de plantio. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 32, n. 71, p. 277-290, 2012a. DOI: 10.4336/2012.pfb.32.71.277.

Reis, A. A. et al. Efeito de local e espaçamento na qualidade do carvão vegetal de um clone de Eucalyptus urophylla S. T. Blake. Floresta e Ambiente, v. 19, n. 4, p. 497-505, 2012b. DOI: 10.4322/floram.2012.055.

Trugilho, P. F. et al. Avaliação de clones de Eucalyptus para a produção de carvão vegetal. Cerne, v. 7, n. 2, p. 104-114, 2001.

Vale, A. T. et al. Potencial energético da biomassa e carvão vegetal do epicarpo e da torta do pinhão-manso (Jatropha curcas). Cerne, v. 17, n. 2, p. 267-273, 2011.

Vieira, R. da S. Propriedades mecânicas da madeira de clones de Eucalyptus e do carvão produzido entre 350ºC e 900ºC. 2009. 80 f. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia da Madeira) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.




DOI: https://doi.org/10.4336/2016.pfb.36.88.1073



Direitos autorais 2016

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional