Produção de biomassa florestal para energia em sistemas agroflorestais

Gabriel Browne de Deus Ribeiro, Crismeire Isbaex, Sebastião Renato Valverde

Resumo


O objetivo dessa revisão foi avaliar o potencial da produção de biomassa florestal com fins energéticos em Sistemas Agroflorestais (SAFs). O uso da madeira e de resíduos florestais para energia tem sido bastante estimulado no Brasil e no mundo nas últimas décadas, em razão de questões ambientais e da sua viabilidade técnica e econômica. No entanto, seu desenvolvimento em SAFs ainda necessita de mais estudos. Foram analisadas as principais características técnicas e econômicas para a produção de madeira para energia em SAFs, destacando espécies arbóreas, qualidade de sítio, características socioeconômicas e práticas agrossilviculturais. Os principais estudos encontrados são oriundos da Europa, Estados Unidos, Ásia e África, enquanto que no Brasil ainda existe escassez de trabalhos nesse tema, embora o país seja grande consumidor de biomassa florestal para energia. Todos os trabalhos encontrados indicaram que existe potencial técnico e econômico para a geração de energia de biomassa em SAFs, tanto para o abastecimento do produtor rural, quanto para a comercialização da madeira com qualidade para uso energético. Contudo, essa relação depende fundamentalmente de: maior estruturação do mercado para biomassa florestal, características socioeconômicas regionais e condições ambientais.

Palavras-chave


Lenha; Resíduos florestais; Potencial econômico

Texto completo:

PDF

Referências


AgroForstEnergie. Economic and ecological evaluation of agroforestry systems in farming practice. 2015. Disponível em: . Acesso em: 9 maio 2016.

Arco-Verde, M. F. et al. Aporte de nutrientes e produtividade de espécies arbóreas e de cultivos agrícolas em sistemas agroflorestais na amazônia. Floresta , v. 39, n. 1, p. 11-22, 2009. DOI: 10.5380/rf.v39i1.13721.

Azevedo, C. P. et al. Produção de lenha na região de Iranduba e Manacapuru - Amazonas: Acacia mangium e Acacia auriculiformis. Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, 2002. 4 p. (Embrapa Amazônia Ocidental. Circular técnica, 16).

Berndes, G. et al. The contribution of biomass in the future global energy supply: a review of 17 studies. Biomass and Bioenergy. v. 25, n. 1, p. 1-28, 2003. DOI: 10.1016/S0961-9534(02)00185-X.

Bernstad Saraiva, A. et al. Provision of pulpwood and short rotation eucalyptus in Bahia, Brazil: environmental impacts based on lifecycle assessment methodology. Biomass and Bioenergy, v. 105, p. 41-50, 2017. DOI: 10.1016/j.biombioe.2017.06.004.

Brito, J. O. & Cintra, T. C. Madeira para energia no Brasil: realidade, visão estratégica e demandas de ações. Biomassa e Energia, v. 1, n. 2, p. 157-163, 2004.

Brito, J. O. Energia da Madeira. In: Santos, F. (Org). Bioenergia e biorrefinaria: cana-de-açúcar e espécies florestais. Viçosa, MG, 2013, p. 271-295.

Cacau, F. V et al. Decepa de plantas jovens de eucalipto e manejo de brotações, em um sistema agroflorestal. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 43, n. 11, p. 1457-1465, 2008.

Couto, L. & Müller, M. D. Produção de florestas energéticas. In: Santos, F. (Org). Bioenergia e Biorrefinaria: cana-de-açúcar e espécies florestais. Viçosa, MG, 2013. p. 298-319.

Dobie, P. et al. Strategy on tree-based energy: clean and sustainable energy for improving the livelihoods of poor people. Nairobi, Kenya: World Agroforestry Centre, 2015. 36 p. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2016.

Dobie, P. & Sharma, N. Trees as a global source of energy: from fuelwood and charcoal to pyrolysis-driven electricity generation and biofuels. [Nairobi, Kenya]: World Agroforestry Center, 2014. Disponível em: < http://www.worldagroforestry.org/sites/default/files/Dobie%20&%20Sharma%202014%20-%20Trees%20as%20a%20Global%20Source%20of%20Energy,%20WCA%202014.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2016.

Empresa de Pesquisa Energética (Brasil). Balanço Energético Nacional 2015: ano base 2014. Rio de Janeiro, 2015. 292 p. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2016.

FAO. Forest and energy in OECD Countries. Rome, 2008. 128 p.

FAO. State of World’s Forests 2011. Rome, 2011, 164 p. Disponível em: < http://www.fao.org/docrep/013/i2000e/i2000e.pdf>. Acesso em: 30 mar. 2016.

Giwa, A. et al. A comprehensive review on biomass and solar energy for sustainable energy generation in Nigeria. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 69, p. 620-641, 2017. DOI: 10.1016/j.rser.2016.11.160.

Gregerson, H. et al. People and trees: the role of social forestry in sustainable development. Washington, D.C.: World Bank, 1989. 273 p.

Gruenewald, H. et al. Agroforestry systems for the production of woody biomass for energy transformation purposes. Ecological Engeneering, v. 29, n. 4, p. 319-328, 2007. DOI: 10.1016/j.ecoleng.2006.09.012.

Indústria Brasileira da Árvore. IBÁ: Indústria Brasileira da Árvore. Brasília, DF, 2015. 80 p. Relatório Ibá 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2016.

Jensen, M. Woodfuel productivity of agroforestry systems in Asia. Bankok: FAO, 1995. 40 p. (FAO. Field document, 45)

Kalame, F. et al. Modified taungya system in Ghan: a win – win practice for forestry and adaptation to climate change? Environmental Science & Policy, v. 14, n.5, p. 519-530. 2011. DOI: 10.1016/j.envsci.2011.03.011.

Kalu, C. et al. Economic potential of Taungya Farming System in Edo State, Nigeria. Journal of Agriculture and Social Research, v. 11, n. 1, 2011.

Kerkhof, P. Agroforestry in Africa: a survey of project experience. Londres: Panos Institute, 1990. 216 p.

Kursten E. Fuelwood production in agroforestry systems for sustainable land use and CO2-mitigation. Ecological Engeneering, v. 16, n. supl. 1, p. 69-72, 2000. DOI: 10.1016/S0925-8574(00)00054-9.

Mercer, D. E. & Soussan, J. Fuelwood: an analysis of problems and solutions for less developed countries. In: Sharma, N. P. (Ed.). Managing the world’s resources. Washington, D.C.: World Bank, 1992. p. 177-213.

Mirck, J. & Quinkenstein, A. Research and development protocol for alley cropping in Germany. [S.l.]: Agforward, 2015. 10 p.

Montes, E. C. et al. Growth and fuelwood properties of five tree and shrub species in the Sahelian and Sudanian ecozones of Mali: relationships with mean annual rainfall and geographical coordinates. New Forests, v. 45, n. 2, p. 179-197, 2014. DOI: 10.1007/s11056-013-9401-9.

Munslow, B. et al. The Fuelwood trap: a study of the SADCC Region. Londres: SADCC Energy Secretariat, 2012. 160 p.

Nair, P. K. R. An introduction to agroforestry. Dordrecht: Kluwer, 1993. 499 p.

Nair, P. K. R. et al. Soil carbon sequestration in tropical agroforestry systems: a feasibility appraisal. Environmental Science & Policy, v. 12, n. 8, p. 1099-1111, 2009. DOI: 10.1016/j.envsci.2009.01.010.

Ndayambaje, J. D. & Mohren, G. M. J. Fuelwood demand and supply in Rwanda and the role of Agroforestry. Agroforestry Systems, v. 83, n. 3, p. 303-320, 2011. DOI: 10.1007/s10457-011-9391-6.

Negash, M. & Kanninen, M. Modeling biomass and soil carbon sequestration of indigenous agroforestry systems using CO2FIX approach. Agriculture, Ecosystems & Environment, v. 203, p. 147-155, 2015. DOI: 10.1016/j.agee.2015.02.004.

Oliveira Neto, S. N et al. Eucalipto: as questões ambientais e seu potencial para sistemas agrossilvipastoris. In: Fernandes, E. N. et al. (Ed.). Sistemas agrossilvipastoris na América do Sul: desafios e potencialidades. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite, 2007. p. 245-282.

Oliveira Neto, S. N. et al. Sistemas agroflorestais para adequação ambiental de propriedades rurais. Informe Agropecuário, v. 33, n. 271, p. 70-77, 2012.

Payn, T. et al. Changes in planted forests and future global implications. Forest Ecology and Management, v. 352, p. 57-67. 2015. DOI: 10.1016/j.foreco.2015.06.021.

Platen, H. V. Alternativas de reforestación: Taungya y sistemas agrosilviculturales permanentes vs. Plantaciones puras: la economía. Turrialba: CATIE, 1996. 25 p. (CATIE. Serie técnica. Informe técnico, 250).

Portilla, W. & Mckenzie, T. A. Un caso de evolution en el desarollo de proyectos forestales. Silvoenergia, n. 40, p. 4, 1991.

Redhead, J. F. & Maghembe, J. A. Agroforestry: preliminary results of intercropping Acacia, Eucalyptus and Leucaena with maize and beans. In: SYMPOSIUM OF INTERCROPPING IN SEMI-ARID AREAS, 2., 1980, Morogon, Tanzania. Intercropping: proceedings. Ottawa: IDRC, 1982. p. 43-49.

Ribeiro G. B. D. & Valverde S. R. Breve elucidação sobre os leilões de energia e o potencial da biomassa florestal. Revista Madeira, Palmas, p. 43-45, 2016. Disponível em: < https://issuu.com/abaf_2014/docs/revista-madeira-2016>. Acesso em: 20 ago. 2016

Rigueiro-Rodríguez, A. et al (Ed.). Agroforestry in Europe: current status and future prospects. [S.l.]: Springer, 2009. 450 p. (Advances in agroforestry, 6).

Rodigheri, H. R. et al. Custo de produção, produtividade e renda do eucalipto conduzido para uso múltiplo no norte pioneiro do Estado do Paraná. Colombo: Embrapa Florestas, 2001. 12 p. (Embrapa Florestas. Circular técnica, 51).

Santos, M. J. C. & Paiva, S. N. Os sistemas agroflorestais como alternativa econômica em pequenas propriedades rurais: estudo de caso. Ciência Florestal, v. 12, n. 1, p. 135-141, 2002. DOI: 10.5902/198050981707.

Schlönvoigt, M. & Beer, J. Initial growth of pioneer timber tree species in a Taungya system in the humid lowlands of Costa Rica. Agroforestry Systems, v. 51, n. 2, p. 97-108, 2001. DOI: 10.1023/A:1010674402907.

Souza, C. R. et al. Espécies florestais para produção de energia. Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, 2008. 8 p. (Embrapa Amazônia Ocidental. Circular técnica, 31).

Torres, C. M. et al. Estimativas da produção e propriedades da madeira de eucalipto em Sistemas Agroflorestais. Scientia Florestalis, v. 44, n.109, p. 137-148, 2016. DOI: 10.18671/scifor.v44n109.13.

USDA National Agroforestry Center. Agroforestry: working trees for energy. Lincoln, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 maio. 2016.

Vale, A. T. et al. Produção de energia do fuste de Eucalyptus grandis hill ex-maiden e Acacia mangium Willd em diferentes níveis de adubação. Cerne, v. 6, n. 1, p. 83-88, 2000.

Valverde, S. R. et al. Silvicultura brasileira: oportunidades e desafios da economia verde. Rio de Janeiro: Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável, 2012. 39 p. (Coleção de estudos sobre diretrizes para uma economia verde no Brasil). Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2016

Vidal, A. & Hora, A. da. Perspectivas do setor de biomassa de madeira para a geração de energia. BNDES Setorial: Papel e Celulose, v. 33, p. 261-314, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2016

Vital, R. B. et al. Qualidade da madeira para fins energéticos. In: Santos, F. et al. (Ed.). Bioenergia e biorrefinaria: cana-de-açúcar e espécies florestais. Viçosa, MG, 2013. p. 322-354.

Zhang, D. et al. Policy instruments for developing planted forests: theory and practices in China, the U.S., Brazil, and France. Journal of Forest Economics, v. 21, n. 4, p. 223-237, 2015. DOI: 10.1016/j.jfe.2015.09.004.




DOI: https://doi.org/10.4336/2017.pfb.37.92.1389



Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional