Efeito de diferentes espaçamentos na produção de pupunha para palmito no litoral do Paraná – 1º corte

Edinelson José Maciel Neves, Álvaro Figueredo dos Santos, Emerson Gonçalves Martins, Sérgio Ahrens, Antonio Nascim Kalil Filho

Resumo


Um experimento foi estabelecido em Paranaguá-PR, com propósito de avaliar o efeito de diferentes valores para espaçamento inicial sobre a produção de creme de palmito de pupunha (Bactris gasipaes). Utilizou-se um delineamento de blocos ao acaso com quatro tratamentos e seis repetições. Os tratamentos (T) foram constituídos pelos seguintes espaçamentos: T1 2x1 m (5000 mudas/ha); T2 3x1m (3333 mudas/ha); T3 1,5x1x1 m (8000 mudas/ha); e T4 2x1x1 m (6666 mudas/ha) Por ocasião do plantio aplicou-se adubação mineral à base de NPK na cova e, posteriormente, adubação de cobertura em diferentes épocas. Os resultados obtidos por ocasião do primeiro corte, realizado aos 24 meses após o plantio, permitiram as seguintes conclusões: a) as quantidades de NPK aplicadas promoveram mudanças nas características químicas do solo utilizado; b) a produção de peças de palmito aumentou em função do número de plantas usadas; e c) a produção de 1 kg de creme de palmito permitiu o envasamento de aproximadamente 3,3 vidros do produto.

Palavras-chave


Fertilidade do solo; Adubação; Produção industrial

Texto completo:

PDF

Referências


BONACCINI, L. A. Produza palmito: a cultura da pupunha. Cuiabá: SEBRAE-MT, 1997. 100 p. (Coleção Agroindústria, 12).

BOVI, M. L. A. Palmito pupunha: informações básicas para cultivo. Campinas: Instituto Agronômico, 1998. 50 p. (IAC. Boletim Técnico, 173).

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Manual de métodos de análise de solos. 2. ed. rev. atual. Rio de Janeiro, 1997. 212 p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: Embrapa Produção de Informação; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 1999. 412 p.

EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Levantamento de reconhecimento dos solos do litoral do Estado do Paraná. Curitiba: EMBRAPA SNLCS: IAPAR, 1977. 128 p. (EMBRAPA-SNLCS. Boletim Técnico, 54; IAPAR-PLS. Boletim Técnico, 9). Convênio: SUDESUL -EMBRAPA - Governo do Estado do Paraná/IAPAR.

KULCHETSCKI, L.; CHAIMSOHN, F. P.; GARDINGO, J. R. Palmito pupunha (Bactris gasipaes Kunth): a espécie, cultura, manejo agronômico, usos e processamento. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 2001. 148 p.

MORA-URPÍ, J. Ecología. In: MORA-URPÍ, J.; GAINZA ECHEVERRÍA, J. (Ed.). Palmito de pejibaye (Bactris gasipaes Kunth): su cultivo y industrialización. São José: Universidad de Costa Rica, 1999. p. 25–31.

MORA-URPÍ, J.; BOGANTES, A. A.; ARROYO, O. C.; RIVERA, C. L. Densidades de siembra. In: MORA-URPÍ, J.; GAINZA ECHEVERRÍA, J. (Ed.). Palmito de pejibaye (Bactris gasipaes Kunth): su cultivo y industrialización. São José: Universidad de Costa Rica, 1999. p. 107–113.

MORA-URPÍ, J.; WEBER, J. C.; CLEMENT, C. R. Peach palm: Bactris gasipaes Kunth. Rome: IPGRI, 1997. 83 p. (Promoting the Conservation and Use of Underutilized and Neglected Crops, 20).

MORSBACH, N.; RODRIGUES, A. dos S.; CHAIMSOHN, F. P.; TREITNY, M. R. Pupunha para palmito : cultivo no Paraná. Londrina: IAPAR, 1998. 56 p. (IAPAR. Circular, 103).

OLEYNIK, J. Manual de fertilização e correção do solo. Curitiba: EMATER-PR, ACARPA, 1980. 91 p.

ROJAS, E. M. Suelos, nutrición mineral y fertilización. In: MORA-URPÍ, J.; GAINZA ECHEVERRÍA, J. (Ed.). Palmito de pejibaye (Bactris gasipaes Kunth): su cultivo y industrialización. São José, Universidad de Costa Rica. 1999. p.






Direitos autorais 2003

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional