Influência de coberturas verdes de inverno e de sistemas de preparo do solo na produtividade da erva-mate (Ilex paraguariensis St Hil.), em Ponta Grossa, PR

João Filipe Philipowski, Renato Antonio Dedecek, Moacir José Sales Medrado

Resumo


O cultivo da erva-mate consorciado com culturas agrícolas anuais nas entrelinhas visa propiciar uma renda adicional ao produtor e diminuir o custo de implantação da cultura principal. Entre as linhas de erva-mate, espaçadas de 6 m, plantadas em 1994, foram cultivadas, a partir de 1995, sete coberturas verdes de inverno: tremoço azul, ervilhaca peluda, aveia preta, azevém comum, nabo forrageiro, vegetação espontânea e uma mistura de ervilhaca, nabo e tremoço. A partir do verão de 1996, foi cultivada soja em diferentes sistemas de preparo do solo: convencional, cultivo mínimo (subsolagem), tração animal, enxada rotativa e plantio direto. A poda de formação da erva-mate foi realizada em agosto de 1998. A primeira poda de produção foi em agosto de 1999, e a partir desta, bienalmente. Nos anos de 1996 e 2001 coletaram-se amostras de solo para análises químicas e físico-hídricas. Ocorreu diferença significativa na produção de erva-mate, considerando-se os sistemas de preparo, as coberturas verdes de inverno e mesmo a interação destes. A maior produção de erva-mate (5,5 kg/planta) ocorreu com preparo do solo, na entrelinha, sendo realizado por tração animal, a qual se diferenciou estatisticamente dos demais tratamentos, com exceção do sistema convencional de preparo do solo, na colheita efetuada em 2001. O maior rendimento da erva-mate foi alcançado com o uso do tremoço como cobertura verde de inverno (5,8 kg/planta em 2001), e o menor, com o desenvolvimento da vegetação espontânea (3,3 kg/planta em 2001). Foi observado um aumento da resistência do solo à penetração de raízes na linha de plantio da erva-mate quando comparado com a entrelinha, porque não houve preparo do solo naquela.


Palavras-chave


Sistema agroflorestal; Resistência do solo; Consorciação de cultivos

Texto completo:

PDF

Referências


DEHLE, R. A. Manejo de malezas. In: CURSO DE CAPACITACION EN PRODUCCION de YERBA MATE, 2., 1994, Cerro Azul. Curso... Cerro Azul: INTA, Estacion Experimental Agropecuaria Cerro Azul, 1995. p. 61-65.

HAMBLIN, A. P. The influence of soil structure on water movement, crop root growth and water uptake. Advances in Agronomy, v. 38, p. 95-158, 1985.

LOURENÇO, R. S.; MEDRADO, M. J. S. Cobertura morta na produção da erva-mate. Colombo: Embrapa Florestas, 1998. 15 p. (Embrapa Florestas. Circular Técnica, 30).

SCHREINER, H. G. Associação de leguminosas com plantios florestais para cobertura e melhoramento do solo. Boletim de Pesquisa Florestal, Colombo, n. 17, p. 1-12, dez. 1988.

PRAT KRICUN, S. D. Yerba mate: investigación agronomica en la Republica Argentina. In: SEMINÁRIO SOBRE ATUALIDADES E PERSPECTIVAS FLORESTAIS, 10., 1983, Silvicultura da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.): anais. Curitiba: EMBRAPA-CNPF, 1983. p. 82-93. (EMBRAPA-CNPF. Documentos, 15).

VENIALGO, C. A. Labranza. In: CURSO DE CAPACITACION EN PRODUCCION de YERBA MATE, 2., 1994, Cerro Azul. Curso... Cerro Azul: INTA, Estacion Experimental Agropecuaria Cerro Azul, 1995. p. 51-58.






Direitos autorais 2004

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este periódico é afiliado à Associação Brasileira de Editores Científicos.


Os originais publicados na Pesquisa Florestal Brasileira estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional