Distribuição natural e habitat da araucária frente às mudanças climáticas globais

Marcos Silveira Wrege, Elenice Fritzsons, Márcia Toffani Simão Soares, Itamar Antônio Bognola, Valderês Aparecida de Sousa, Letícia Penno de Sousa, João Bosco Vasconcellos Gomes, Ananda Virgínia de Aguiar, Gustavo Crizel Gomes, Maria de Fátima Silva Matos, Andressa Godinho Scarante, Rogério Soares Ferrer

Resumo


A araucária (Araucaria angustifolia (Bertol.) O. Kuntze.), conhecida como pinheiro-do-paraná, é uma espécie florestal nativa do Brasil, adaptada às regiões serranas frias e úmidas do sul e do sudeste do país e torna-se vulnerável diante das mudanças climáticas globais. Apresenta grande valor econômico, social e ambiental, pois é uma das espécies nativas com maior incremento e potencial de ganho genético, apresenta excelente qualidade de madeira e ainda produz sementes que podem ser usadas na alimentação humana e animal. Com o objetivo de conhecer a distribuição natural atual e o habitat das populações, percorremos parte das bordas da região de ocorrência da araucária, marcando a posição geográfica e altitude. Com as informações de campo, juntamente com dados secundários do Centro de Informações Ambientais (CRIA), mapeamos a distribuição da araucária no presente e simulamos para as próximas décadas, considerando a projeção de cenários climáticos futuros. Estes estudos são essenciais para a melhor compreensão dos riscos de extinção e das medidas mitigadoras que poderiam ser adotadas para reduzir os impactos das mudanças climáticas globais sobre a espécie, contribuindo, dessa maneira, para a sua conservação.

Palavras-chave


Conservação genética; Aquecimento global; Distribuição geográfica

Texto completo:

PDF

Referências


Anjos, L. dos. O ciclo anual de Cyanocorax caeruleus em floresta de araucária (Passeriformes: Corvidae). Ararajuba, v. 2, n. 1, p. 19-23, 1991.

Auler, N. M. F. et al. The genetics and conservation of Araucaria angustifolia: genetic structure and diversity of natural populations by means of non-adaptative variation in the state of Santa Catarina, Brazil. Genetics and Molecular Biology, v. 25, n. 3, p. 239-338, 2002. DOI: 10.1590/S1415-47572002000300014.

Behling, H. et al. Late holocene vegetation history and early evidence of Araucaria angustifolia in Caçapava do Sul in the lowland region of Rio Grande do Sul State, Southern Brazil. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 59, 2016. DOI: 10.1590/1678-4324-2016150264.

Behling, H. et al. Late quaternary araucaria forest, grassland (Campos), fire and climate dynamics, studied by high-resolution pollen, charcoal and multivariate analysis of the Cambará do Sul core in Southern Brazil. Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology, v. 203, n. 3-4, p. 277-297, 2004. DOI: 10.1016/S0031-0182(03)00687-4.

Behling, H. & Pillar, V. D. Late quaternary vegetation, biodiversity and fire dynamics on the southern Brazilian highland and their implication for conservation and management of modern Araucaria forest and grassland ecosystems. Philosophical Transactions of the Royal Botanic Society, v. 362 B, p. 243-251, 2007. DOI: 10.1098/rstb.2006.1984.

Bittencourt, J. V. M. & Sebbenn, A. M. Patterns of pollen and seed dispersal in a small, fragmented population of the wind-pollinated tree Araucaria angustifolia in southern Brazil. Heredity, v. 99, p. 580–591, 2007. DOI: 10.1038/sj.hdy.6801019.

Carlucci, M. B. et al. Conservação da floresta com araucária no extremo sul do Brasil. Natureza e Conservação, v. 9, n. 1, p. 111-114, 2011. DOI: 10.4322/natcon.2011.015.

Carlucci, M. B. et al. Individual-based trait analyses reveal assembly patterns in tree sapling communities. Journal of Vegetation Science, v. 23, p. 176-186, 2012. DOI: 10.1111/j.1654-1103.2011.01339.x.

Carvalho, P. E. R. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Colombo: EMBRAPA-CNPF; Brasília, DF: EMBRAPA-SPI, 1994. 639 p.

Cavalcanti, M. P. Distribuição dos pinheirais no Brasil. [S.l.]: Sociedade Nacional de Agricultura, 1908.

Centro de Referência em Informação Ambiental. Species link. Disponível em: . Acesso em 7 dez. 2015.

Chou, S. C. et al. Assesment of climate change over South America under RCP 4.5 and 8.5. downscaling scenarios. American Journal of Climate Change, v. 3, p. 512-525, 2014a. DOI: 10.4236/ajcc.2014.35043.

Chou, S. C. et al. Evaluation of the eta simulation nested in three global climate change models. American Journal of Climate Change, v. 3, p. 438-454, 2014b. DOI: 10.4236/ajcc.2014.35039.

Conceição, D. M. da et al. Novo registro de floresta petrificada em Altos, Piauí: relevância e estratégias para geoconservação. Pesquisas em Geociências, v. 43, p. 311-324, 2016.

Duarte, L. S. et al. Plant dispersal strategies and the colonization of Araucaria forest patches in a grassland-forest mosaic. Journal of Vegetation Science, v. 18, p. 847-858, 2007. DOI: 10.1111/j.1654-1103.2007.tb02601.x.

Dümig, A. et al. Araucaria forest expansion in the southern Brazilian highlands as revealed by 14C and δ13 C studies. Geoderma, v. 145, p. 143-157, 2008.

Dutra, T. L. & Stranz, A. História das Araucariaceae: a contribuição dos fósseis para o entendimento das adaptações modernas da família no hemisfério sul, com vistas a seu manejo e conservação. In: Ronchi, L. H. & Coelho, O. G. W. (Org.). Tecnologia, diagnóstico e planejamento ambiental. São Leopoldo: Ed. da UNISINOS, 2003. p. 293-351.

Fähser, L. Die Bewirtschaftung der letzten Brasil-Kiefer-Naturwälder, eine entwicklungspolitische Aufgabe. Forstarchiv, v. 52, p. 22-26, 1981.

Fritzsons, E. et al. Altitude e temperatura: estudo do gradiente térmico no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Climatologia, v. 16, p. 108-119, 2015. DOI: 10.5380/abclima.v16i0.39665.

Fritzsons, E. et al. Relação entre altitude e temperatura: uma contribuição ao zoneamento climático no estado de Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Climatologia, v. 18, p. 80-92, 2016. DOI: 10.5380/abclima.v18i0.39471.

Geological Survey (U. S.). Survey National Mapping Division. Global 30 arc second elevation data. 1999. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

Giongo, C. & Waechter, J. L. Composição florística e espectro de dispersão das espécies arbóreas de uma floresta mista com Podocarpus, Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, n. 2, p. 333-335, 2007.

Gonçalves, E. T. & Souza, A. Floristic variation in ecotonal areas: patterns, determinants and biogeographic origins of subtropical forests in South America. Austral Ecology, v. 39, p. 122-134, 2014.

Hueck, K. As florestas da América do Sul. Brasília: Ed. da UnB; São Paulo: Polígono, 1972. 466 p.

Hueck, K. Distribuição e habitat natural do pinheiro do paraná (Araucaria angustifolia). Boletim da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo. Botânica, v. 10, p. 5-24, 1953. DOI: 10.11606/issn.2318-5988.v10i1p5-24.

IBGE. Malha municipal do Brasil, 2011. Rio de Janeiro, 2011. CD-ROM.

IUCN Red List of Threatened Species. Red list: version 2016-3. Disponível em: . Acesso em: 18 fev 2017.

James, P. E. Latin America. New York: Odyssey Press, 1942.

Klein, R. M. Aspectos dinâmicos da vegetação do sul do Brasil. Sellowia, v. 36, p. 5-54, 1984.

Klein, R. O aspecto dinâmico do pinheiro brasileiro. Sellowia, v. 12, p. 17-48, 1960.

Lamberts, A. V. D. H. Predação e sobrevivência de sementes de Araucaria angustifolia (Bert.) Kuntze em áreas de mata nativa e plantação de Pinus eliottii na Floresta Nacional de São Francisco de Paula, RS. 2003. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Leite, P. F. Contribuição ao conhecimento fitoecológico do sul do Brasil. Ciência e Ambiente, v. 24, p. 51-73, 2002.

Lima, L. et al. Matas de Araucaria angustifolia em áreas do escudo Sul-riograndense. Paleontologia em Destaque, v. 17, n. 40, p. 18, 2002.

Mantovani, A. et al. Internal genetic structure and outcrossing rate in a natural population of Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze. Journal of Heredity. v. 97, n. 5, p. 466-472, 2006. DOI: 10.1093/jhered/esl031.

Navas, C. A. & Cruz-Neto, A. Se extinções associadas a mudanças climáticas globais são eventos naturais, por que devemos nos preocupar com o cenário atual? Revista de Biologia, v. 1, p. 9-11, 2008.

Puchalski, A. et al. Variações em populações naturais de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze associada a condições edafoclimáticas. Scientia Florestalis, v. 70, p. 137-148, 2006.

Rambo, B. O Elemento andino no pinhal riograndense. Anais Botânicos do Herbário Barbosa Rodrigues, v. 2, n. 2, p. 125-136, 1951.

Reitz, R. & Klein, R. M. Araucariáceas. Itajai: Herbário Barbosa Rodrigues, 1966. 62 p. (Flora ilustrada catarinense).

Reitz, R. et al. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Sudesul, 1988. 525 p.

Rühle, K. Die vegetationsformen suedamerikas in ihrer klimatischen bedingtheit. Petermans Mitt, 1928. 74 p.

Shimizu, J. Y. et al. Variabilidade genética em uma população remanescente de Araucária no Parque Nacional do Iguaçu, Brasil. Boletim de Pesquisa Florestal, v. 41, p. 18-36, 2000.

Sousa, V. A. et al. Genetic differentiation among araucaria populations in Brazil. In: CONGRESO FORESTAL MUNDIAL, 13., 2009, Buenos Aires. Desarrollo forestal: equilibrio vital. Argentina: FAO, 2009. Resumo.

Sousa, V. A. Population genetic studies in Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze. 2001. 161 f. Thesis (PhD) - Faculty of Forest Sciences and Forest Ecology, Institute of Forest Genetics and Forest Tree Breeding, Georg-August University of Göttingen, Göttingen.

Sousa, V. A. Population genetic studies in Araucaria angustifolia in southern Brazil. Heredity, n. 99, p. 580-591, 2000.

Sousa, V. A. & Richards, C. M. Genetic diversity and biogeographic determinants of population structure in Araucaria angustifolia Bert. O Ktze. In: WORKSHOP OF EMBRAPA`S SCIENTISTS IN USA, 1., 2011, Fort Collins. Washington: Labex USA, 2011. p. 37.

Stefenon, V. M. The distribution of the genetic diversity in Arucaria angustifolia and its implications for the genetic conservation of the species’genetic resources. 2007. 120 f. Thesis (PhD) - Faculty of Forest Sciences and Forest Ecology, Institute of Forest Genetics and Forest Tree Breeding, Georg-August University of Göttingen, Göttingen.

Teixeira, M. B. et al. Vegetação. In: PROJETO RADAMBRASIL. Folha SH.22 Porto Alegre parte das folhas SH. 21 Uruguaiana e SI. 22 Lagoa Mirim: geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação, uso potencial da terra. Rio de Janeiro: Departamento Nacional da Produção Mineral, 1986. p. 541-632. (Levantamento de recursos naturais, v. 33).

Thomas, P. Araucaria angustifolia. The IUCN Red List of Threatened Species, 2013. DOI: 10.2305/IUCN.UK.2013-1.RLTS.T32975A2829141.en.

Valgas, R. A. Análise multivariada aplicada no mapeamento da divergência genética de subpopulações de Araucaria angustifolia por marcadores isoenzimáticos. 2008. 139 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Universidade Federal do Paraná.

Valgas, R. A. et al. Cluster analysis applied in mapping the genetic divergence of populations of Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze by isoenzymatic markers. In: Recent advances in mathematics and computers in biology and chemistry: proceedings of the 10th WSEAS International Conference on Mathematics and Computers in Biology and Chemistry, Prague, Czech Republic, 2009. [S.l.]: WSEAS Press, 2009. p. 87-91.

World Meteorological Organization. The global climate 2001-2010: a decade of climate extremes: summary report. Geneva, 2013. 8 p.

Wrege, M. S. et al. Atlas climático da região Sul do Brasil: Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Pelotas: Embrapa Clima Temperado; Colombo: Embrapa Florestas, 2011. 336 p.

Wrege, M. S. et al. Climate change and conservation of Araucaria angustifolia in Brazil. Unasylva, v. 60, n. 231/232, p. 30-33, 2009.

Wrege, M. S. et al. Predicting Current and Future geographical distribution of Araucaria niche modeling. Environmental and Ecology Research, v. 4, p. 269-279, 2016. DOI: 10.13189/eer.2016.040506.

Wrege, M. S. et al. Variáveis climáticas relacionadas aos serviços ambientais: estudo de caso da araucária. In: Parron, L. M. et al. (Org.). Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do Bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015 p. 242-247.




DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2017.pfb.37.91.1413

Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

ASP / Ebsco, AGRIS, Agrobase / Binagre , BDPA, CABI Direct, CCN, CIRS, Diadorim , DOAJ, e.journals, Forestry Compendium, Genamics JournalSeek, Google Acadêmico, Journals for free, Latindex, Livre, Miar, OasisbrPortal da Capes, RCAAP, Road, Sabiia, Scilit, Redib

.

Pesquisa Florestal Brasileira
Brazilian Journal of Forestry Research

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional