Precisão e eficiência relativa de métodos de amostragem em teca

Autores

  • Dirceu Lucio Carneiro Miranda Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais
  • Jonas Francio Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais
  • Juliano de Paula Santos Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais
  • Carlos Roberto Sanquetta Universidade Federal do Paraná, Departamento de Ciêcias Florestais
  • Ana Paula Dalla Corte Universidade Federal do Paraná, Departamento de Ciêcias Florestais

DOI:

https://doi.org/10.4336/2015.pfb.35.83.638

Palavras-chave:

Inventário floresta, l Plantios florestais, Tectona grandis

Resumo

Este estudo teve como objetivo comparar três métodos de amostragem: área fixa, Bitterlich e Prodan, quanto à precisão e eficiência relativa na estimativa das variáveis, diâmetro a 1,30 m do solo (DAP), número de árvores, área basal e volume total. Foi fixado um limite de erro em 10% em um nível de probabilidade de 95%, utilizando-se 30 parcelas para cada método. Foram mensuradas as circunferências a 1,30 m do solo, para posterior conversão em DAP, e cronometrado os tempos totais desde a instalação das parcelas até a mensuração da última árvore. Para as estimativas das variáveis DAP e número de árvores por hectare, o método de área fixa foi o mais preciso. No entanto, para estimativa de área basal e volume o método de Bitterlich mostrou-se mais preciso. O método de Bitterlich mostrou-se o mais eficiente para estimativa de todas as variáveis. Pode-se concluir que a precisão não está diretamente associada à eficiência relativa e que métodos de amostragem menos usuais que o de área fixa podem ser utilizados com precisão e eficiência em inventários florestais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-09-30

Como Citar

MIRANDA, D. L. C.; FRANCIO, J.; SANTOS, J. de P.; SANQUETTA, C. R.; CORTE, A. P. D. Precisão e eficiência relativa de métodos de amostragem em teca. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 35, n. 83, p. 247–254, 2015. DOI: 10.4336/2015.pfb.35.83.638. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/638. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)