Crescimento e Nutrição de Ocotea odorifera (Canela Sassafrás) Submetido à Fertilização e à Omissão de Nutrientes

Autores

  • Silvia Schmidlin Keil Pontífica Universidade Católicia - PUC- PR
  • Carlos Bruno Reissmann Universidade Federal do Paraná
  • Sylvio Pellico Netto Universidade Federal do Paraná

Palavras-chave:

Ocotea odorifera, fertilização, omissão de nutriente

Resumo

Avaliaram-se os aspectos nutricionais e o efeito da fertilização e da omissão de nutrientes no desenvolvimento de plântulas de canela sassafrás (Ocotea odorifera (Vell.) Rohwer), conduzido em casa de vegetação durante 24 meses, constando de 11 tratamentos e cinco repetições, com coletas sazonais, sendo utilizado o material obtido na primavera. Os tratamentos consistiram de controle (solo natural), adubação completa (N, P, K, Ca, Mg, S, Zn, B), adubação com omissão individual de nutrientes (-N, -P, -K, -Ca, -Mg, -S, -B, -Zn) e tratamento com adubação orgânica (esterco bovino curtido). Foram utilizados vasos com solo de baixa fertilidade natural e plântulas de canela sassafrás oriundas de regeneração natural dispostos em delineamento estatístico inteiramente casualizado. Foram avaliados desenvolvimento em altura, diâmetro do colo e biomassa. Para o crescimento em altura da canela sassafrás, o nutriente mais limitante foi o enxofre, e para o diâmetro do colo foi a fertilização com macro e micronutrientes, embora não tenha havido diferença significativa entre os tratamentos. A massa seca radicular foi reduzida quando da fertilização com macro e micronutrientes e a massa seca aérea quando se omitiu N e P. A adubação orgânica demonstrou ser eficiente, tanto para o incremento em altura, quanto para a produção de massa foliar.

 

doi: 10.4336/2009.pfb.58.17

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

26-02-2010

Como Citar

KEIL, Silvia Schmidlin; REISSMANN, Carlos Bruno; PELLICO NETTO, Sylvio. Crescimento e Nutrição de Ocotea odorifera (Canela Sassafrás) Submetido à Fertilização e à Omissão de Nutrientes. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], n. 58, p. 17, 2010. Disponível em: https://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/2. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.